"Revolta-me"

Revolta-me! Em tempestades sentimentais. 
Desejos carnais. Em que me envolvo... no teu abraço.
Dedilha o meu corpo em sonhos sonhados, em chamas ardentes.
Naquelas vontades eloquentes, em que nos alienamos... do mundo.
(Esperando ser eternos. Na insanidade que nos corre: nas veias.)
Bombeia o meu coração, em batimentos acelerados.
Em beijos roubados. Como aqueles que nos unem, em cumplicidades.
Em fortes vontades. Capazes de nos despir... a alma.

Apenas, ama-me. 
Sem pressas, nem intervalos. No presente destes dias.
Em cama fria. (Aquecida pelos nossos anseios: em combustão.)
Prende-me em utopias, em promessas em nada vazias.
Em noites, que acabam no nascer dos dias.
Nas horas em que perdemos... a razão.

Eu, agora sou teu. Um eterno apaixonado, que só te sabe...
Amar.
Para lá da morte, do findar de mim mesmo.

Apenas revolta-me... Revolta-te em mim...

Comentários

  1. A sua escrita tem tanta emoção que desperta o nosso vulcão!
    Dia feliz

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigado pelas palavras.

      Continuação de um óptimo dia :)

      Eliminar

Enviar um comentário