"Infinidade"

Não sei se será o tempo, ou então apenas eu.
A amar-te com tal intensidade, nesta voracidade que me assola o corpo.
(Nas noites quentes em que sonho… contigo, nos meus braços.)
Envolvo-me num turbilhão de sentidos. Despindo a pele que me reveste a alma.
Tombando… no âmago batente, deste coração - que te pertence, sem duvidar de nós.
Pudesse eu ter-te nas minhas mãos, em puro acto de desejo,
De corpos submersos, num prazer estremado a dois. Nunca cama usada,
Gasta pelos espasmos, daquilo que vivemos. (Sussurrando promessas… tão nossas.)

Vem! Vem e arrebata o meu peito. Dilacera o medo que tenho e…
Marca-te em mim. Na insanidade do pensamento. No desvairo do momento.
(Daquele em que confessamos amores. Em que avivamos… a paixão.)
Morde-me os lábios e junta-te à minha pele. Sacia-me a tua falta.
Aquela que me rouba o sono, que me desperta todo aquele querer… que não sei refutar.
Vem! E apenas ama-me, nestas quatro paredes. Em que chamo por ti,
Em que imagino-nos, como complementaridade de um mesmo coração.
(Como seres alados… deste anseio carnal, que nos assola.)

Permanecerei contigo no meu corpo, enlaçado no teu olhar.
Em feitiços que me lanças, nesta chama que arde, que nos incendeia…
Para além dos gritos mudos, que emanam… das nossas almas pedintes.
Dos nossos eternos e unos: sentidos…


Comentários

  1. Os seus textos provocam uma emoção que não tem limites.

    Gravo sempre algumas das suas aprazíveis respostas e uma das que mais me marcaram foi "Melhor do que dizer é confessar o nosso amor no silêncio de um olhar gritante".

    Continue pois o seu "Eu" é inspirado pela paixão e será sempre forte emoção para quem o lê!

    Uma boa semana :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho de agradecer por todas as palavras que tem deixado. É gratificante ver que os leitores, se identificam com a escrita e que levam um pouco dela para as suas vidas.

      Tenha uma óptima semana ;)

      Eliminar
  2. You're the love of my life. <3

    ResponderEliminar
  3. *suspiro*

    Os teus textos deixa-me sempre arrebatada e sem palavras. Acho que qualquer coisa que pudesse dizer neste momento não descreveria na verdade o que senti ao ler estas três estrofes. Consegues sempre surpreender-me com as tuas palavras! Continua e um grande, grande beijinho! :)

    ResponderEliminar
  4. Finalmente versos livres :D. Odeio o facto de os versos mais oldfashion nos prendem e limitam a intesidade daquilo que realmente queremos dizer. Eu tava á procura de alguém pa começar uma página portuguesa de Slam Poetry (não sei se ja ouviste falar). Anyways bom encontrar blogs que ainda são de qualidade que não se focam apenas na aparencia e sim no conteudo :). Bye

    ResponderEliminar

Enviar um comentário