"Algo só Nosso"

Desveste-me os sonhos, que sonho contigo. Nas horas tardias da madrugada.
Em que invades os meus pensamentos. Em que me revoltas… em emoções.
Dançaremos em utopias quebradas, em fados minimais: que falam de amor.
Deste sentimento que me assola o peito… rompendo a saudade.
(Aquela que conjugo em ti. Como princípio de um fim, que não sei conhecer.)
Apenas abriga-te no meu olhar. Em cada pedaço deste mar, que me impele.
Permanece no meu corpo, para lá das horas findas. Sejamos eternos.
Naquela eternidade que te prometo… enquanto tateio os teus lábios.

Rouba-me de mim mesmo, naufraguemos em talismãs de amor.
Em cristais tão raros, como aqueles que se cravam… ao teu peito.
(Que tanto almejo cuidar, nesta vida que só se completa: contigo.)
Abraça-me em desejos confessados, ao luar dos nossos sentimentos.
Perdidos em promessas feitas. De amar-te… para além da morte.
(Daquela que não nos destrói. Tornando-nos... imortais.)

Permanece no enlace deste destino. Nas linhas cruzadas, que nos uniram.
Em nós, que permanecem, imunes à tempestade.
Entregues às juras desfeitas, pelos gestos… que evidenciam o sabor deste sentimento.
Desta paixão que nutro. Que vive no batimento, deste teu imperfeito… coração.



Comentários

Enviar um comentário