"Cordas"

Falta-me o mar, a pele salgada do teu doce olhar,
Amor, falta-me amar-te.
Falta-me o voz, o silêncio preterível da tua ausência,
Falta-me ir, perder-me na tua presença.
Amor, falta-me o tempo em que te sinto em mim,
Nesta tempestade sem fim,
Falta-me morrer, para renascer em ti.
Falta-me a voz, o ar deste sentimento atroz,
Que encontro ao embater no teu ser.
Falta o caminho traçado em acto esperado, deste meu sonho ousado.
Falta-me a saudade, faltas-me tu.
Vivo da abstracção, da memória que arrasta e não gasta,
Do amor que conjugo neste silêncio turvo, que quebro ao ver-te.
Falta-me a tua mão, o beijo molhado em peito acelerado,
Faltas tu a meu lado,
Falto-te eu, como teu eterno enamorado.
Falta-me a tua chegada em cada batida do coração,
Nesta ilusão, de ter-te nos meus braços.
Faltam-me estas cordas e baraços,
De um nós tão difícil de desatar...


Comentários