"Abrigo"

Acordo e tenho-te em mim, és mais forte do que eu,
És pedaço de céu, daquele que partilho contigo,
O corpo pede abrigo, o meu coração sobrevive no perigo e,
Eu, sobrevivo no sonho que tenho de nós.
Há muito que o tempo, para mim, não interessa,
Que a distância se esbate, que a chama arde,
Que o corpo pede, pede por ti aqui.
Que se quebrem barreiras, que caiam pontes,
Atravessarei sempre rios, mares, oceanos,
Lutarei por ti, até ao fim dos meus dias e,
Depois do cansaço, encontrarei espaço para sonhar ainda mais...
Contigo.
Que na espera, sejamos apenas,
Como simples penas,
Daquelas que não lamentam,
Daquelas que entram, pela janela do quarto,
E se depositam mesmo ao lado do nosso corpo,
Que nos tocam esbatendo a saudade...


Hoje em vez da habitual musica, deixo-vos um short filme em que é utilizado o meu poema “Desdigo”. Espero que gostem...

Comentários

Enviar um comentário