"Sede"

Os dias passam e a vontade aumenta, o corpo pede, a alma grita e o coração, esse, sente-te em cada batida. Os sonhos tornam-se dispersos, as músicas gastas e, as palavras, dão lugar a um emaranhado de sentimentos díspares, de vozes que me falam de ti. Queria eu ter-te mesmo agora entre os meus braços, aninhada na minha pele, ancorada neste porto de abrigo que te dou, sem pensar em mim, pensando em nós. Espero-te para naufragares em mares revoltos que nos façam viver, sentir, querer, sem esperar, sem perder, sem que a chama se esbata nas frias noites de uma primavera que espera pelo irradiar do teu corpo quente. Quero-te e não é de agora, quero-te e não será de hoje mesmo, quero-te permanentemente, loucamente, talvez até insanamente, já que não consigo sentir mais nada para além de ti. A certeza apodera-se do meu corpo, corres-me nas veias, incendeias, ateias e ardes com a minha definição de paixão. Arrasas-me o pensamento, roubas-me tudo e, em troca, dás-me tanto sem saberes, dás-me sede de viver, dás-me a vontade de te beijar, de te abraçar, de contigo fugir, de contigo começar. Os dias passam, a vontade aumenta e tu, tu cresces dentro de mim, tal como um sonho bom, tal como uma utopia alcançável bem na palma da minha mão...



Comentários

  1. Oi moço, o jeito como tu escreve...♡ sem palavras pra descrever... vc tem muito talento eim:) bjs
    Se puder faz uma visita..
    Http:/apenasumdiariovirtual.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
  2. O amor não nunca matará, o amor alimenta a essência do querer, o resto são utopias de cada um...

    ResponderEliminar
  3. Que haja sempre sede desta :) O amor é a única sede que quanto maior, mais sacia. Gosto de vir ler-te, as tuas palavras caem sempre bem!

    Beijinho :)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário