Rúbrica Conversa a dois - "Quero-te aqui"

Hoje trago-vos algo que nunca tinha feito aqui no blog. Surgido de uma proposta, aqui fica um texto escrito a dois, um texto em que, ambos, não sabiam o que o outro iria escrever e, apenas, tiveram de completar aquilo que estava à sua frente redigido.
Neste primeiro desafio tenho, como co-autor deste pequeno post, o Diogo Canudo, para quem não sabe o Diogo dedica-se à escrita através de várias vertentes, a primeira passa pelo blog Periélio  e a segunda pelo conhecido blog Crónicas de Eurofestivais . Aproveitem para explorar mais um pouco do trabalho dele.


Quero-te aqui. Quero-te, simplesmente, aqui, comigo. Quero olhar para o horizonte, para a miragem e saber que tu estás lá. Quero um abraço amigo, a quem depositar todas as minhas frustrações e todas as minhas alegrias. Quero olhar para a lua, sonhar com ela e esperar que voltes. Sabes, tenho saudades tuas, das tuas palavras sábias, dos teus conselhos chatos. Até mesmo do teu riso. Apesar dos quilómetros que nos separam, consideras-me e fazes-me sentir especial, algo que nem eu próprio tinha descoberto. O meu silêncio torna-se em barulho contigo, em díspares cores, em estranhos sentimentos. Pode o tempo parecer nada ser, podes tu nem sequer saber mas, em tantas noites, procuro-te por entre estas quatro paredes. O corpo estremece, estremece este meu ser que te quer, de forma desmedida, distraída, de forma peculiar como se nunca contemplasse a despedida. Quero-te simplesmente, a ti, somente a ti, em compassos descoordenados, descompassados, de uma música que me marca, que me fala tanto de ti. Posso ser eu rio e tu mar, podemos ter pontes que nos unem e tantos vales que nos separam. Podemos sempre ser a continuação, a divisão ou a eterna soma dos nossos corpos. Hoje procuro-te aqui, nesta cama fria que me faz pedir-te em mim. E a única coisa de que preciso neste momento é de um abraço. Unicamente, do teu abraço.




Comentários

  1. Adorei esta rubrica! O texto ficou maravilhoso e sou sincera, escreveram de tal forma bem que não se nota onde começa a parte de um e onde acaba a do outro. Fizeram um excelente trabalho :) Estão de parabéns!

    ResponderEliminar
  2. Excelente. Ficou muito bom o texto. Escrevem muito bem os dois, porque realmente parece ser só uma pessoa a escrever. Adorei o trabalho, estão de parabéns os dois. Beijinho

    ResponderEliminar
  3. Gostei imenso. Concordo com a Cláudia, é impossível saber quem é que escreveu o quê. Talvez por o sentimento nas entrelinhas ser tão similar em ambos. :)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário