"Lê-me"

Procuro-te em mim, dentro deste mar de vontade, dentro desta chama que arde, que me fala de ti, que me faz querer-te simplesmente. Procuro-te no que há junto a mim, na pele que se arrepia com a tua presença, nas vezes em que me invades o imaginário. Queria ser eu apenas o teu rio, aquele que te vê acordar, que te sente o respirar, que...o teu corpo vai beijar, numa manhã de sol que te faz sorrir, numa nova história que te faz seguir. Procuro-te nas palavras em que tantas vezes falo do que és para mim, das frases que te narram, daquelas que se declaram, onde eu confesso este sentimento que tenho por ti. Poderei ser eu o teu homem, o teu príncipe, o teu guerreiro de espada e capote, poderei ser eu a tua metade? Tantas vezes te quero e em tão poucas não me relembro de ti, a verdade, é que vives por aqui, não como passagem, miragem, vives permanentemente neste meu sonho presente, neste presente que contigo se quer fazer futuro. Se o destino nos cruzar, mais vezes, mais instantes, mais numa série de minutos, não me fales, não me olhes, não me digas, apenas beija-me, apenas abraça-me e eu, em silêncio, declaro-te a tempestade de vontade que vive bem dentro do meu peito. Ainda demoras?


Comentários

Enviar um comentário