"Convido-te a ficares"

Despe-me a pele, despe-me o corpo e leva-me. Leva-me pela tua mão, no silêncio da noite, na nudez das palavras, na ternura de um beijo. Marca-me, deixa-me respirar, sonhar, ter-te, bem nos meus braços, entre os meus sentidos. Silencia-me com a tua presença e acalma-me com o teu olhar. Desnuda-me, desnuda-te e ficaremos apenas os dois, no toque da pele, no sabor dos dialectos e do deleito de quem se quer sem pudor. Faz então comigo amor, faz-me sentir-te, possuir-te, na ascensão da palavra, no eufemismo do acto. Permanece em mim bem mais do que um segundo, um efémero tempo, fica comigo, fica aqui. A noite embrulhar-nos-á no escuro destas quatro paredes e aí, nesse momento, iluminar-nos-emos um ou outro, amando cada pedaço que nos compõe, sem mais nada, no nosso tudo...


Comentários

  1. Há muito tempo que não lia uma coisa que me fizesse 'sonhar' tanto :) muito bom, mesmo!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário