Vontade de ti...

Encosta-te, percorre-me, prende-me... a ti. Fica uma hora, um segundo apenas, entre os meus braços, junto à minha pele. Pinta-me, delineia-me, cativa-me, ateia-me. Permanece neste meu corpo, neste olhar, na melodia que emana de um velho leitor de discos, nesta noite que cai quente. Depois, depois vai, vai depois volta, vai depois eu procuro-te, na neblina da manhã, no sangue que te chama, na vontade que te anseia, no sonho que te descreve. Chama-me, envolve-me, enlouquece-me, estremece-me. Sussurra em frases baixas tudo o que quiseres dizer e eu, eu irei confessar-te, segredar-te, contar-te, tantos sonos que me roubaste em noites que te imaginava. Depois, depois ficaremos os dois, apenas nós, nestes lençóis de linho, nesta sala voltada para o mar. Encosta-te, um pouco, fica, de vez...


Comentários

  1. quando é que nos abraçamos?Hoje tenho a noite toda para as palavras :) Um beijo

    ResponderEliminar
  2. Acho que todos nós precisamos de isso, de alguém que se encoste e fique a nosso lado até que o "para sempre" termine :)

    ResponderEliminar
  3. começa a ser mesmo repetitivo vir aqui dizer que escreves lindamente mas a verdade é que sempre que te leio adoro por isso não tenho mesmo outro remédio que....escreves mesmo bem André, continua*

    ResponderEliminar
  4. Escreves muito bem. Tão sincero, puro, verdadeiro... adorei. :) Beijinhos!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário