"Querer.te"

No fim de contas, querer-te é ter sede de infinito, fome de vida, desejo de respirar. Querer-te é como viver-me, viver-nos, entre oceanos tempestuosos e calmas tardes de Primavera. Querer-te é querer mais que os olhos, é morder, é agarrar o infinito, juntando tudo na palma da minha mão. Querer-te é a forma que não crê em fórmulas, em raízes quadradas, em subtracções de momentos. Querer-te é apenas isso, querer-te sem questionar, querer-te sem te tocar, querer-te até no mais secreto sonhar. Querer-te é perder a razão, viver insane no meio da multidão, querer-te é perder-me e encontrar-me ao mesmo tempo. Querer-te é largar tudo, é correr o mundo, é sentir o sangue borbulhar. Querer-te é a sinopse de um filme de amor, de uma ave de condor, é a carne que pede mais, é beijar e tantos sinais. Querer-te é amar-te assim, perdidamente, é ganas de ter, mãos que percorrem o saber, é a criança que chora para comer. Querer-te é não esquecer, é a constatação do permanecer. Querer-te é querer-te e, ao querer-te, quero-te em toda a minha vontade...



Comentários

  1. Como descreves tão bem o "querer",o Amor!
    Adorei, como adoro sempre passar por este recanto.
    Beijinho.

    ResponderEliminar
  2. Como me identifico e encontro neste texto.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário