Da noite...

“A noite caiu há tempo, o corpo pede e... a vontade cresce. O destino cruza, empurra, mostra e depois confirma, na subtileza da canção, na melodia do desejo. O sonho então invade e, aquele sorriso, brota no rosto, fica colado nos teus contornos, imerge em mim mesmo. Olho a tua imagem ao longe, toco-lhe, admiro-lhe e depois deixo-te permanecer mesmo perto do rio Tejo. Hoje deito-me com o teu sabor, hoje deito-me contigo...”


Comentários

Enviar um comentário