Da noite...

Vem depois de mim, depois de ti, depois de nós. Vem mesmo depois do ponto final, mesmo que o medo persista, que a dúvida exista, que o desconhecido insista. Vem, vem que eu te espero, no escuro da noite, na luz que emana da vela que preenche o quarto de sonhos sonhados. Vem se quiseres amar, se quiseres sentir, se quiseres descobrir tanto que agora em tão pouco é expressado. Vem, vem apenas na suave brisa que embate contra dos vidros da janela, contra o meu peito que te almeja tocar. Vem sempre que eu sempre te espero, sem horas, sem demoras, na calmia do corpo, na agitação da alma. Vem mesmo depois do sonho, mesmo depois do cansaço, aqui há sempre espaço, para ti, para mim, para nós. Mesmo do ponto final, existirás tu, mesmo depois do ponto final, volto a escrever a seguinte linha com o teu nome. Vem, eu cá te espero...



Comentários

  1. Sonhador, amoroso, apaixonante, sensível, são as palavras que para mim descreve a tua beleza de escrita, a tua alma escondida por de tras destas palavras deliciosas. E sempre um prazer ler te, bem como passar por aqui e ver que escreves sempre mais e melhor. Um beijinho

    ResponderEliminar

Enviar um comentário