Esta vontade de ti...

O corpo pede,
A vontade ordena, empurra, arrasta,
Quero-te agora,
Nesta hora, sem ver o tempo cessar.
És ar, a minha vontade de lutar,
A minha outra metade de mulher.
O peito chama,
Tu aqui, na minha vida, na minha cama,
Sem drama nem ficção,
Unidos os dois, de mãos entrelaçadas, na liberdade, naquele colchão.
Desejo-te e não é pouco,
Porque se fosse pouco seria louco e,
Louco não sou a não ser por ti,
Por isso quero-te, agora, sem demora,
Nesta minha vontade que me devora,
Nesta vontade de te amar...



Comentários

Enviar um comentário