Corres(-me) nas veias...

Escreveria o teu nome em todas as paredes desta vila, na minha pele, tatuava-te na minha carne. Era capaz de percorrer o mundo por ti, de enfrentar fantasmas, de derrubar barreiras, de entregar-me como simples homem ao teu olhar. Por ti percorria o mar, entrava pelo rio Tejo e desaguava mesmo em frente à tua cama, aquecendo-te dentro daquelas quatro paredes, por entre os lençóis. Por ti coleccionava anzóis para que, quando chegasses, pudéssemos ir pescar, em frente ao mar, àquele que nos viu crescer. Queria eu fazer-te minha mulher, detentora do meu sentir, corpo, alma, sorrir, queria eu, tanto... Cantava em voz alta a melodia da minha paixão, eu, se te tivesse mesmo aqui, não encontrava fim, apenas uma continuação. Por ti roubava todas as luzes que iluminam as ruas, colocaria velas em cada esquina, só para te iluminar o rosto, só para ver as tuas sombras nas pareces vizinhas. Queria eu as tuas mãos nas minhas, o teu cheiro na roupa que vestia, o sabor dos teus lábios entranhado nos meus. Corria eu a maior maratona do mundo só para te ver chegar, sustendo o ar e, num volte e face do destino, embrulhava-te nos meus braços, sentindo-te, tendo-te apenas para mim naquele momento. Saberia que os meus olhos não te iriam mentir, todas as noites mal dormidas, as cartas meio escritas e... tanto, tanto por te dizer. Apenas não queria o teu saber, queria o teu sentir, num castelo erigido para não ruir, para não ruir na primeira tempestade. Queria eu viajar contigo, percorrer o mundo, desejar-te ainda mais do que te desejo, amar-te ainda mais do que te amo, sonhar-te ainda mais do que te sonho. Não sei se isso será possível, dizem que o coração é pequeno mas tu, tu, invades cada secção dele, enchendo-o, preenchendo cada espaço vazio mesmo com a distância a separar os nossos corpos. Queria eu sentir o teu respirar na minha pele, a doce tentação do desejo, numa noite partilhada e, vendo o nascer do sol, acordar contigo a meu lado e saber que não era apenas uma simples paixão, que era e é amor, aquele que alimenta o coração...

Carregamento por telemóvel 



Comentários

  1. A paixão que te corre nas veias ;)
    EA

    ResponderEliminar
  2. Sem dúvida alguma!
    Fico feliz por teres gostado :)
    Beijinho*

    *Excelente texto, como habitual! :)

    ResponderEliminar
  3. Que paixão essa! Lindo, gostei muito :)

    ResponderEliminar
  4. Que maravilha de texto. está realmente bonito.

    ResponderEliminar
  5. Estou sempre apaixonada por ti, é um facto. Acredita (:

    ResponderEliminar

Enviar um comentário