"Quero(-te)"

Quero-te, de forma desmedida, distraída, repetida.
Quero-te, uma e outra vez, entre beijos roubados, abraços apertados, lençóis usados.
Quero-te!
Desejo-te a cada hora, sem demora, numa vontade que me devora, que devora o teu ser.
Quero-te assim, em corpo de mulher, num lugar qualquer, num oceano de vontade.
Quero-te, sem tempos nem interrogações, moldando corações, saciando o corpo.
Quero-te num copo de vinho em noite de Inverno, num sentimento terno, num tempestuoso acto de paixão.
Quero-te, coração, corpo, vida, quero-te numa rua, numa avenida.
Quero-te presente, ausente, carente, para te pegar, para te amar.
Quero-te entre espasmos de prazer, entre oceanos e o anoitecer, quero-te como mar agitado, tu, presente a meu lado.
Quero-te para ficar, para não esquecer, para errar, para aprender.
Quero-te intemporalmente, no sentir, na mente, quero-te presente a cada segundo do meu respirar.
Quero-te porque sinto que podia escrever todo o mar bem em cima dos nossos passos.

Quero-te...



Comentários

Enviar um comentário