Agora...

O teu respirar cola-se ao meu ouvido, sinto o pulsar do teu coração numa manobra intensa de me agarrares com as tuas mãos. Estamos aqui somente os dois, numa noite em que, o luar, se dissipava por entre as nuvens que anunciavam a tempestade que vira depois. Colados um ou outro, moldados na intempérie de uma paixão avassaladora, esquecemo-nos de tudo e mergulhamos na junção da pele, no contacto, no ar que se expira dos pulmões, que embacia o vidro do carro. Apenas se ouve o mar, as ondas que embatem contra o rochedo e nós, nós aqui permanecemos, os dois, na noite, amantes confessos de um desejo tão nosso...



Comentários

  1. Sempre que passo por aqui, 'sabe-me' sempre a pouco. Há sempre vontade de ler mais! Escreves realmente muito bem :)
    Beijinho*

    ResponderEliminar
  2. Tanto escreves de amor como de paixão. E sempre da forma mais pura. Magnifico!

    ResponderEliminar
  3. Sim, infelizmente, é a realidade de muita gente que não encontra em Portugal as oportunidades que procuram..!
    Beijinho*

    ResponderEliminar
  4. Últimos posts muito apaixonantes!!...
    Muito bons!
    Beijinho

    ResponderEliminar

Enviar um comentário