Carne-Coração...

Era um turbilhão de desejo que entrara dentro do corpo dele, um vendaval de emoções, um sorriso, um corpo de mulher. Tivera entrado sem pedir permissão, sem que as janelas tivessem abertas, entrado pela porta, forçando a fechadura. Há muito que os ventos sopravam ao sabor das ondas, ele esvoaçava, por aí, entre caminhos percorridos e outros tantos por percorrer. Não era feito de pré-noções, falsas convicções e nunca se guiava pelos padrões. Ele, ele respirava vida, em cada artéria do corpo, em cada correria do sangue que lhe corria pelas veias. Ela invadiu-o, embateu contra o seu peito de forma voraz, ficando na paz, naquela mesma que ele procurava no seu dia-a-dia. Ele esperou-a, atravessou rios, pontes, oceanos, era feito de carne e, nessa carne que emergia da sua pulsação, fazia dele coração que moldava-se ao amor que sentia. Um dia ele descobrira que a vida era mesmo assim, ou se lutava, ou se perdia, ou se dizia ou, incorríamos no erro de seguir sem ter. Nunca foi feito de outros, para ele, a vida era como um riacho, calmo por vezes e agitado em noites de chuva, daquela que lhe fazia querer mais, que lhe fazia desejar ela com uma intensidade maior do que qualquer embate de um navio contra rochedo firme. Ela entrara, permanecera em cada melodia, em cada frase que ele escrevia, em cada texto trovado por quem erguia a voz muda no meio de um mundo somente seu. Ela apareceu e, com isso, ele sorriu, sabia o que era amar e, que o amor, era um sentimento crescido dentro do seu peito, à sua forma, naquela forma livre de pensar com o coração e de sentir com os dedos que percorriam a textura da pela humana. Para ele, ela, será sempre chama e é, nesse calor que circunda todo o seu fulgor, que ela lá fica, na perda da sua própria razão, bem segura, aninhada no seu coração...


Comentários

  1. acho divina a forma como descreves o amor, tão sentido, tão real. nunca se consegue descrevê-lo na perfeição, nem aos seus mistérios, mas se há formas bonitas de o escrever é assim, como tu o fizeste. fiquei encantada, e espero poder ficá-lo mais vezes. um beijinho e vou seguir-te:)

    ResponderEliminar
  2. Sem palavras. Adorei o texto. Sempre com amor, sempre com encanto nas palavras. As tuas palavras são mágicas, fazem sonhar, fazem acreditar no amor verdadeiro, fazem acreditar nas belas histórias de amor. É sempre um prazer ler-te, admiro muito a tua escrita. Bom final de domingo. Beijinho

    ResponderEliminar
  3. Incrível a forma como contextualizas os sentimentos. Encantada...

    ResponderEliminar

Enviar um comentário