"Amo-te..."

É engraçado ver o amor hoje em dia, os caminhos que ele toma, as facetas que ele assume. Tantas são as pessoas que dizem querer ser amadas e amar mas, no fim de contas, acabam por viver de aventuras e de relações fáceis, acessíveis ao toque de uma simples mensagem trocada. Hoje em dia, não se sabe amar ou então, ama-se o mais fácil, a imagem, o corpo e o resto não interessa porque, o que se procura é um aglomerado de conquistas que servem para subir no ranking de popularidade. Vê-se por todo o lado a palavra “amo-te” colocada ao expoente da loucura, diz-se amar e nem se sabe o que isso é e ama-se no dia seguinte de conhecer a “tal pessoa”. Mas que caminhos estamos nós a seguir? Depois surgem os românticos, os jovens que se encontram “casados” nas redes sociais e que tatuam os nomes dos seus “mais que tudo” pelo corpo, como sinal de amor, como prova da sua grande paixão. O tempo passa e as coisas mudam, os “casamentos” terminam em pouco mais de uma semana e as palavras escritas, na pele, são tapadas por borrões pretos que lá vão disfarçando o “sofrimento” da desilusão de amor. A traição é outra das coisas incontornáveis, os estados que se escrevem, as lágrimas que se vertem para, no dia seguinte, voltarem a reatar a relação dizendo que “quem ama perdoa”. Não! Eu discordo, quem ama não trai e muito menos engana. Mas, eu penso que, com o tempo, a nossa concepção de amor altera-se, passamos a acreditar noutros ideais, a traçar outros planos. Mas serei eu que tento pensar nisso ou isso acontece mesmo? Pois bem, a vida acaba sempre por trazer aquilo que nós procuramos e ao mesmo tempo lutamos, ora se apanhamos a fruta que está caída no chão mais probabilidade temos de ela apodrecer mais rapidamente, certo? Então, mais vale perdermos tempo, construirmos uma escada e chegarmos ao topo, porque lá raros chegam e, desta forma, temos algo que dure mais, algo a que sabemos, verdadeiramente, dar valor. Dizem que não devemos ter pressa mas que não se perca tempo, aí está uma grande verdade, que se procure, que se ache, que se viva, que se experimente. Somente vivendo nesta aventura que chamamos da “arte de amar” é que podemos enxergar, com clareza, aquilo que nos faz bem e aquilo que nos faz mal. Então, deixem-me que vos diga que não existe a “pessoa certa no momento errado”, que não existe um “tarde demais”, que não acontecem “acasos”. O que existem são tempos e tu, tu perdes-te neles, vivendo e agarrando o verdadeiro ou andando por aí, na face errada do amor, naquela que te tira o encanto do sentimento, que te faz chorar ou borrar de preto algo que te poderia causar sentimentos bem mais agradáveis. Por mais que fujas do amor, que te escondas, que te camufles, ele acaba-te sempre por encontrar. Podes falar mal daquilo que é amar, podes tentar esquecer, tentar substituir mas, no final, acabas sempre por te enganar uma e outra vez até acertares de vez naquilo que te faz acreditar...no amor...

 

Comentários

  1. oh...disseste tudo! Hoje em dia parece que as pessoas não sabem o que é realmente amar...é triste mas é a verdade!

    Um beijinho* :)

    ResponderEliminar
  2. Sabes, acho que as pessoas vivem acomodadas na grande maioria a vidas sem sentido, a ideais mesquinhos e mesmo que sintam que não é esse o caminho certo, outros valores são levantados. Com mais ou menos importância a vida o nosso dia-a-dia leva-nos a por o que sentimos muitas vezes de lado.
    Vejo muitos casais que me são próximos a viverem vidas em comunhão, por não saberem como o fazer em separado, por medo do futuro, por infinitas razões que não aquela que os devia unir.

    Mas também vejo muita gente com um tremendo medo de amar, porque para amar não basta dizer Amo-te.

    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  3. ahhh tao verdade! Infelizmente as pessoas sao egoistas, a minima coisa preferem acabar tudo, na verdade muitas vezes acabar o que mal comecou. e mais facil pensarmos em nos mesmos do que nos pormos na pele da outra pessoa. amar e confiar, e construir algo a dois a cada dia que passa, e chorar juntos, e apoiar, e respeitar, e muitas vezes abdicar do eu em prol do nos. Amar e muito mais do que meras palavras :)

    ResponderEliminar
  4. Não acrescentava mais nada. Disseste tudo! Hoje em dia a palavra amor, é aplicada a qualquer relação, a qualquer amizade. A palavra paixão é dita a qualquer relacionamento que de duas pessoas que mal se conhecem. A palavra amo-te esta completamente banalizada, é uma palavra tão sentimental, forte e de elevada importância, que apenas deve ser prenunciada em momentos importantes e com as pessoas que realmente amamos de verdade, é uma palavra valiosa que deve ser guardada para pessoas que merecem recebe-la em seus coração. Hoje em dia não acontece por tudo e por nada se ouve"amo-te". Se calhar o problema esta mesmo na palavra amar, será que a sociedade sabe o verdadeiro sentido da palavra, não só a definição da mesma, mas sim todos os ações, todas as manifestações de sentimentos que ela implica, todas as manifestações de actos de amor, de carinho, de amizade que com ela esta implicito... amar é mais que palavras, amar são gestos .... Grande reflexão, adorei ler. Boa semana, assim como desejo um optimo 2014, cheio de novas inspirações e concretizações a nivel pessoal e profissional.

    ResponderEliminar
  5. Ninguém vive sem amor... Com maior ou menor protecção, ninguém consegue viver (no verdadeiro sentido da palavra) sem o amor...
    Beijinho

    ResponderEliminar
  6. Como sempre fantástico. Eu acredito nisso e luto por isso. Forte abraço

    ResponderEliminar

Enviar um comentário