5 minutos...

Agarro o teu corpo com firmeza, com delicadeza, fazendo amor sobre aquela mesa, naquela sala, naquele chão. Digo-te palavras sentidas, em suaves mordidas, percorro o teu corpo em beijos, desejos. Deixo-me ir pela sinfonia dos teus espasmos, pelo contorcer do teu corpo, moldando a tua pele na minha, sendo um louco, louco por ti, pelo teu corpo. Perco-me no sorriso da tua expressão, nos olhares que pedem mais, no presente daquele colchão, em actos de desejo, de paixão. Saciamos a vontade no meio de dialectos gastos, de ternuras e de factos, agarro-te com força, juntando-te a mim, numa ânsia sem fim. Saboreio a tua pele, o beijo que me dás, sem voltares atrás, sem pensarmos no amanhã. Ficamos, assim, imunes ao tempo, ao mundo que fica da parte de fora daquelas janelas, perdemo-nos os dois, jogamos o futuro para depois, rimos como poucos, somos eternos, somos loucos. Amo-te em cada expressão, em cada despontar da minha tesão, em cada forma de reacção quando se fala em assuntos do coração. No final de tudo peço-te para permaneceres para, mais que partilharmos uma cama, partilharmos uma vida. Peço-te para ficares, mais um pouco, mais cinco minutos...



Comentários

Enviar um comentário