No amor não há desculpas...

Subia apressado as escadas de uma casa que nem era sua, ouvia-se a melodia alegre ao fundo daquele corredor, daquele lar em que o calor era bem mais do que o da lareira acesa numa noite de inverno, o calor vinha do sentimento, daquele ali vivido, daquele tão intensamente sentido. Sem olhar para trás corria com todas as suas forças e, de repente, abre a porta daquele quarto. Lá estava ela, sentada ao piano a dedilhar as melodias de um sonho tão real, fragmentos que tinha composto sempre que vivia aquele amor, sempre que sentia a presença dele em si, dentro do seu peito. Sentando-se ao seu lado ele começou a tocar juntamente com ela, começaram a exprimir todo aquele sentimento numa melodia que ecoava por todo aquele espaço, que banhava as fotografias de ambos, as fotografias que fazem parte daquela história. Sorriam e olhavam em gestos cúmplices que no silêncio das palavras se entendiam, sorriam e continuavam a tocar toda aquela harmonia de notas, todo aquele conjugar de sonhos, vontades, projectos e uma série de outras coisas que preenchem o viver deles, aquela sua história que é vida em ambos, que é luz ao olhar de quem os entende, de quem os viu crescer. São complementaridade um do outro, ele tão terno, ela tão sonhadora, são o querer, o lutar, o amar nos mais pequenos momentos, o segurar nos mais intensos segundos, nos mais difíceis dias. Amor, amor é partilhar, é viver a vida num só segundo, agarrando oportunidades, vivendo a intensidade das palavras ditas, dos gestos repartidos, dos sonhos construídos. No amor, no amor de verdade, não há falta de tempo, não há desculpas demoradas, não há mentiras pronunciadas. Na verdade, sempre que se ama, ama-se de verdade, com o coração, como o querer, com respeitar, porque o amor é liberdade e não prisão ao olhar de quem desconhece este sentimento, de quem o reinventa de forma errada...





Fotografias da minha autoria, espero que gostem =)

Comentários

  1. é impossível não gostar do que é feito por ti, nota-se que cada coisa que tu escreves é escrito com toda a sinceridade. continua quero-te continuar a ler, és aquela pessoa que eu tenho a certeza que nunca ia tocar no botão "deixar de seguir" beijinho (:

    ResponderEliminar
  2. gostava sinceramente que aprendesse. adorei o texto, e as fotografias estão muito bonitas, cheias de amor*

    ResponderEliminar
  3. Sim eu sei que com o tempo isto passa, acontece-me muitas vezes isto e na verdade nem me importa, é um estado de inconsciência que não me preocupa muito.
    Sim sou eu na foto :b óh obrigado pela simpatia :)
    Beijinho :*

    ResponderEliminar
  4. Adorei o texto, mas saliento que as fotografias transbordam um sentimento lindo e tão carinhoso.
    :)

    ResponderEliminar
  5. Amar, ama-se com tudo! É isso que as pessoas teimam em perceber!

    Adorei!! :D

    Beijinhoo *

    ResponderEliminar
  6. Estimado amigo, tienes razón en algo el amor es libertad, si dudas que es amor deja que vuele lejos de ti como un ave que surca los cielos, si vuelve al lecho es por que siempre fue amor. Como siempre bellas letras llenas de expresión. Un abrazo.

    ResponderEliminar
  7. Pois é, exatamente. Muito obrigada. <3

    ResponderEliminar
  8. lindas fotos, falam junto com seu belo texto.

    ResponderEliminar
  9. Só lamento o facto de nem todas as pessoas olharem para o amor desta forma tão pura e bonita.
    Espero que quem considera o amor uma prisão, como dizes, possa um dia voar ao som do bater do coração. Pelo menos, gosto de acreditar nisso!
    E desta vez não te congratulo apenas pelo texto mas também pelas fotografias que estão lindas :)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário