Confesso...

As palavras já se conhecem, os gestos são tantos e o amor vai crescendo aos olhos de quem o vive, somos dois, dois amantes em noites frias e dois cúmplices nos dias em que o sol nos convida a passear de mãos dadas naqueles passeios em que os sorrisos são constante e em que os sonhos parecem mesmo ali nas nossas mãos. Sabe tão bem construir uma história assim, sabe tão bem vivermos neste mundo feito à medida daquilo que fomos lutando, das aprendizagens que a vida nos tem dado. O olhar é tão entendido e os silêncios são simples espelho daquilo que o coração dita e que nós vamos seguindo passo a passo para ser erguida uma história, a história que faz de nós personagens principais deste conto em que do sentimento surge os dias, em que do coração surgem as provas. Sinto que a vida nos tem dado o que tanto esperávamos, hoje acredito naquele amor inocente que em criança enchiam o meu imaginário, aquelas pequenas histórias que ia rabiscando enquanto me sentava no chão quente da casa dos meus avós. Olho para trás e vejo que não me enganei nos percursos, sempre segui aquilo que se coadunava comigo, com esta minha forma de ver a vida e de agarrar amores verdadeiros, pessoas reais e não apenas sentimentos rasgados que qualquer um consegue viver. Caminhei por caminhos longos, tempos em que já nem acreditava na palavra amor, os dias tornavam-se escuros mas tudo isto acabou por se dissipar no momento em que a vida nos dá bem mais do que aquilo que pedimos, simples e ternos momentos que fazem toda a diferença, que ditam o que é um amor completo e o distingue de simples migalhas que muitos se alimentam. Sempre que se acredita, sempre que se luta, sempre que nunca nos esquecemos de nós, acabamos por viver as histórias que mais desejamos, os sonhos que mais lutamos, a vida que mais idealizamos. Para sermos quem sonhamos basta apenas colocar em tudo o que fazemos um pouco daquilo que somos...




Comentários

  1. Que texto lindo. Os amores inocentes existem mesmo, é só preciso ter paciência para os procurar por entre todos os outros. Muitas felicidades para esse teu amor *

    ResponderEliminar
  2. Muito muito obrigada, uma vez mais (: Um beijo :*

    ResponderEliminar
  3. Obrigada! Aquela frase não foi escrita por mim (está entre aspas). Normalmente publico esse tipo de citações! Só publiquei ainda uma feita por mim (feita em conjunto com outra pessoa) Ainda bem que gostaste :) beijinho*

    ResponderEliminar
  4. oh obrigada c: o teu também é encantador C:

    Um beijinho

    ResponderEliminar
  5. André deixas-me sempre com um sorriso enorme cada vez que vens comentar o meu canto! Sim está tudo bem, e espero que contigo também !
    Mais uma vez o texto és maravilhoso!
    Tens toda a razão no que disses-te sobre a fotografia, é sem dúvida um refúgio! Um beijo!

    ResponderEliminar
  6. às vezes gostava que não sentisse, porque há sentimentos que parecem arruinar o nosso bem estar.
    já tinha lido este texto mas entretanto não tive possibilidade de comentar. mas adorei, que amor tão bonito. :)

    ResponderEliminar
  7. oh André, é sempre reconfortante receber os teus comentários. as tuas palavras são tocantes, mesmo.
    que ternurinha este teu texto, está uma delícia. um beijo :) *

    ResponderEliminar
  8. Todo o texto está lindo... Mas a última frase... Gosh matou-me por ser tão verdadeira :) Adorei :)

    Beijinho

    ResponderEliminar
  9. humhum ! Muito Bom! - espero um dia encontrar um amor assim tão puramente inocente. Espero um dia poder passar por cada pedacinho das coisas lindas que escreves nesse Blog. Adorei *-*

    ResponderEliminar
  10. Quando comecei a falar com o meu amor, curiosamente através aqui do blogue, falavamos exactamente disso. Não sabíamos como o outro era no entando dizíamos que as pessoas tinham sempre beleza, fosse de que forma fosse. Além de que uma pessoa bonita para alguém pode não ser para outro. Nas conversas com ele aprendi a respeitar primeiro interior da pessoa e só depois avaliar o seu exterior. E até hoje não me arrependi vez alguma ;)
    As tuas palavras fazem recordar-me esses tempos, e fazes com que me lembre dele ao te referires sobre o amor dessa forma tão bela. É bom saber que não sou a única que tem a sorte de ter um homem que se preocupa com o interior e não com o exterior.
    Vocês são poucos, mas serão sempre os melhores! :)
    Um beijo *

    ResponderEliminar
  11. ...O olhar é tão entendido e os silêncios são simples espelho daquilo que o coração dita...

    e coração dita sempre...seja feliz, seja pleno e busque sempre o que te faz bem...

    beijos *-*

    ResponderEliminar
  12. Venho aqui rapidamente ler uma das tuas histórias, para aprender e deixar-me ir no sono, com os teus ensinamentos e lições...
    E é com a lição e a moral da história de que não devemos perder a esperança dos nossos sonhos e perseguir aquilo que gostamos/sonhamos ser. Olhar e conquistar aquilo que queremos ser e que somos espiritualmente (pois vai-se realizando a pouco e pouco).

    Eu ao contrário de ti, não sonhava em histórias de amor, enquanto era criança, mas sempre acreditei e vi no amor algo que não fosse materialista/interesseiro (como muitas vezes acaba por ser em muitas pessoas...)

    Para além de dizer, como todos os que lêem os teus post que adoram o que escreves, posso dizer que é com muita pena que fico por aqui, que é com muita pena que não leio mais...

    Fica a minha palavra de que voltarei aqui para mais, quando conseguir (pelo menos mentalmente!)

    Abraços!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário