As memórias de Pedro... (Fim)

Sobre e pele fresca passa o ar húmido de um dia em que o sol parecia nem aparecer, as vidraças da janela estava embaciadas e ele desenhou nelas o nome do seu amor, as letras que compunham um chamar que ele tão bem conhecia. Era e é um amor real, aquele que atravessa os tempos, as distâncias e os momentos em que procuram um pelo outro naquela casa vazia, naquela casa desprovida de vida sempre que falta a força de dois corações. Deitado recorda os sorrisos dados, as palavras proferidas e os gestos tão presentes dentro do seu peito que grita o nome dela, que pede um pouco mais de tempo. Encontra-se a sarar as suas feridas, a curar as maleitas que uma partida deixaram dentro dele, dentro da história que ia escrevendo, que ia vivendo todos os dias em que acreditava nos sonhos e lutava por eles sem cessar, sem descurar o amor da sua vida, ela. O tempo passou com uma intensidade inexplicável, o que permaneceu apenas é esta saudade que o sufoca, que o prende aquele quarto que lhe faz viver nas recordações de um passado ainda tão presente. Ela, ela já sente a saudade de um amor real, de um amor que viveu com Pedro durante aquele tempo mágico, durante aquela história que ambos construíram na base de um respeito e de um amor que se tornava intransponível para todos os que vinham de fora, de todos aqueles que nem conheciam quem eles eram na sua verdade, nos seus momentos mais fortes. Sentem saudade e seguem caminhos diferentes, são orgulhosos e não conseguem admitir que sentem falta, que sentem falta de um dar e receber, de um sentir que vai para além de um simples atracção, de um simples brilho no sorriso que os anos acabam por roubar. Querem voltar, voltar aquele cais em que ambos ancoraram os seus corações, em que os dois se amaram pela primeira vez naquele mar revolto, naquele mundo que os fez sonhar por mais que esconda sonhos, e impossibilite pessoas de sonharem. Acreditar num futuro é viver um presente, amar é a única forma de sermos verdadeiramente livres, livres no sentir, livres no respeitar. Amar é uma promessa cumprida, um provar de um sentimento, um olhar com o brilho nos olhos, um tocar com os dedos mas sentir com o coração. O amor perde-se, o amor ganha-se mas, esse jamais partiu do coração de Pedro e Inês, são chama viva, pedaço de tudo no meio de nada que o mundo lhes dava, não se condenaram, sofreram um pelo outro, ele porque partiu o coração e ela porque o colou novamente e fez o ver que o amor é feito de altos e baixos, de dias com sol e outros nublados, mas onde há sentimento, onde há um sonhar, tudo se consegue, toda a felicidade acaba por entrar...




Comentários

  1. O amor de Pedro e Inês é melhor prova de que o amor verdadeiro perdura até à morte, é melhor prova de que quando se ama por mais coisas que aconteçam o amor consegue superar, este amor sem dúvida que é a coisa mais linda que pode haver, é o verdadeiro significado da palavra amor

    Um beijinho c:

    ResponderEliminar
  2. sem dúvida que tocar com os dedos e sentir com o coração é a melhor expressão que podias ter usado. é isso mesmo. amar é isso mesmo. não diria melhor. muitos parabéns por esta ora prima, mais uma vez

    ResponderEliminar
  3. O amor quando é verdadeiro ultrapassa tudo e não se deixa vencer por nada! Amei :)

    Beijinho *

    ResponderEliminar
  4. Lindo. Um amor que quebra barreiras e não faz da distância um empecilho de amar.
    Beijos (:

    ResponderEliminar
  5. Era e é um amor real, aquele que atravessa os tempos, as distâncias e os momentos em que procuram um pelo outro...

    Adooro :)

    Assim como adoro suas passadinhas por aqui...

    :)

    ResponderEliminar
  6. Fantástico! Esta história é a prova que para estar junto não é preciso estar perto, mas sim do lado de dentro. O amor é mesmo assim, não mede forças, não tem limites e é ele que embeleza a história da nossa vida.
    Adorei estas memórias :)
    E a tua forma de escrever é arrebatadora.

    ResponderEliminar
  7. Que a tua felicidade te "entre"! É o meu desejo. Mais uma vez os meus parabéns ! :) beijinho *

    ResponderEliminar

Enviar um comentário