Cumplicidades...

Sinto a falta, sinto a tua falta, do teu sorriso, do teu olhar e da forma que prendeu este meu coração a ti. A distância parece enorme e as saudades começam a ser constante neste período que peço que passe rápido, que se dissipe no passar repentino dos minutos que teimam em não passar. Não sei o que se chama a isto, não sei o que posso sonhar mais para além deste amor que apareceu em simples gestos de uma ternura e cumplicidade inexplicáveis, diferentes de tudo o resto. Os caminhos parecem ser os mesmos, os sonhos são sonhados mas a visão do amor torna-se bem diferente na hora em que penso mais com o coração e tu com a razão que utilizas como arma para não te magoares, para não ferires esse teu coração bem distinto do que eu conhecia, do que eu acreditava apenas existir. Hoje sinto falta, falta do teu cheiro, do teu abraço e das palavras que saiem directamente deste meu peito sempre que a vontade de te beijar é bem maior do que o esconder de todo este sentimento. Perdemo-nos nas horas perdidas de uma noite e isso sabe-me tão bem, sabe bem deitar a cabeça na almofada com um sorriso no rosto, com o coração bem mais aconchegado e arejado. Pode parecer que sou livre mas eu estou preso a ti, conto os tempos, contos os minutos e apenas te quero junto de mim, deste meu caminho que encontra significado a teu lado, apenas a teu lado. Há pessoas que jamais são substituíveis e tudo mudou no momento em que mostraste-me que os amores verdadeiros vencem muito mais do que as lutas constantes, muito mais do que as pessoas que tentam destruir a felicidade de quem apenas vive de amor. O amor é palavra principal, simples reflexo de sonhos, vontades e até mesmo de palavras deitadas ao vento na esperança que se transformem em atitudes. O amor só é vivido sempre que partilhado e no momento em que se torna escondido, encoberto por cada um, deixa de existir, deixa de ser real transformando-se em utopia que nem se sabe se poderia deixar de o ser. Sempre que se tem vontade diz-se, sempre que se sente partilha-se, sempre que se gosta respeita-se, sempre que se sente falta procura-se e sempre que se ama luta-se para esse amor ser vivido, para esse amor ser real...




Comentários

  1. As saudades atenuam-se com palavras e o amor aumenta de dia para dia com pequenas provas de amor! Gostei do texto.
    Beijinho, Emilie.

    ResponderEliminar
  2. Oh, eu sei q tens razão, eu sei. Muito obrigada mesmo (:

    ResponderEliminar
  3. continuas a escrever da mesma forma apaixonada e linda de sempre. um feliz natal André :)

    ResponderEliminar
  4. espero então que sejam mesmo boas e que não sejam saudades de um amor que partiu e não volta jamais.

    ResponderEliminar
  5. Quando acabei de ler o post, perguntei-me a mim próprio "se ele sente e sabe isso tudo sobre o que é amar (e que acho que é verdade!), porque é que não o vive?"
    Não quero saber as razões das quais não poderás estar a amar da forma como descreves! Provavelmente tu amas da forma correta, mas quem tu amas não consegue corresponder (à altura) o teu amor...

    Como te disse, não quero saber nada!

    O texto está mesmo muito bonito e para mim são sempre lições que ficam na minha memória e nas quais reflito...
    Infelizmente não vou ler todos os posts que deixei ficar para trás! Pelo que te quero pedir desculpas por esta ausência, semi-prelongada (não por querer, acredita!)

    Um grande abraço!
    E se não trocarmos palavras entretanto, Desejo-te que tenhas um feliz Natal!!!

    ResponderEliminar
  6. Fico sempre fascinada com o que escreves :')
    Bom natal!

    ResponderEliminar
  7. está aqui mais um texto magnífico. as saudades conseguem mesmo dar-nos cabo do coração. *

    ResponderEliminar
  8. "Pode parecer que sou livre mas eu estou preso a ti, conto os tempos, contos os minutos e apenas te quero junto de mim, deste meu caminho que encontra significado a teu lado, apenas a teu lado." - muito bom mesmo, padrinho :D

    ResponderEliminar
  9. Tive de ser, a vida obrigou-me a ser. O problema é que sigo com o coração cheio de amor, repleto de dor e isso sim fere de verdade. Obrigada pelo apoio.

    ResponderEliminar
  10. Ao ler os teus textos reparo que sofres da dor de coração. Acredita, não és o único! Eu própria já sofri essa dor... à quem diga que ainda sofro. Mas a vida e o seu tempo fizeram-me perceber que por vezes amar não é a solução para tudo! Melhor, existem coisas que foram feitas para se amar mas nunca para se ter. Devemos depositar esse sentimento, que sinceramente não sei ao certo se existe, em pessoas que realmente valham a pena! Desejo-te tudo de bom. E acredita, tal como eu, lá mais à frente serás Feliz! :) *

    ResponderEliminar

Enviar um comentário