Amor sonhado, lutado, vivido...

Vive-se de amor, de uma paixão inexplicável aos olhos de quem não sente, vive-se de pequenas coisas, de fragmentos que completam a alma de quem forma a vida de sonhos e de projectos tão reais e lutados. Os passos parecem ser curtos mas são os mais verdadeiros, as vontades são tantas e este nosso amor parece ser muito mais que a efemeridade de um momento, de um bom momento que vive e morre antes de se escrever o próximo parágrafo. Procura-se pequenas coisas, aquelas mesmas que estão guardadas dentro de nós e apenas de nós, aquelas que partilhamos quando a noite cai e os cobertores não aquecem o nosso coração. Procuramos as mãos um do outro e silenciosamente fazemos juras a um sentimento que apenas é nosso, apenas pertence a estes dois nossos corações e a mais ninguém. Somos livres, simples pássaros livres que sobrevoam a nossa própria história, aquela que se vai desenhando com o que de melhor temos em nós, com aquilo que tão bem conhecemos e partilhamos sempre a vontade e a saudade nos leva um ou outro na noite fria ou até mesmo no primeiro raio de sol que o dia faz transparecer por entre as persianas meio fechadas do quarto. Sem lutar jamais se vive um sonho tornado real, jamais se pode esperar que a felicidade surja, natural e fluentemente entre compassos acertados e fados que vêem o amor como um sentimento doloroso e único. Hoje posso falar de amor, porque na verdade nem sei falar de outro sentimento senão este, falo, escrevo mas ficará sempre a faltar pequenos pormenores, pequenos pedacinhos que são vividos, sentidos mas que não encontram palavras para o explicar, para o retratar. Simplesmente vive de amor quem sente, quem dá tudo de si e não desiste à primeira tempestade, à primeira barreira que parece intransponível mas, que na verdade, revela-se um simples obstáculo, uma prova à veracidade que as palavras dizem mas que o coração até pode nem sentir. O amor não se faz de grandes juras, de grandes palavras, de grandes presentes, o amor, aquele mesmo que considero mais verdadeiro, entrega-se aos pormenores, aos olhares, aos abraços, aqueles momentos que não erguem nós perante os outros mas sim que fazem de nós reis e rainhas da nossa própria história, do nosso próprio mundo...




Comentários

  1. O amor tem tanto de bom como de mau :(

    ResponderEliminar
  2. É mesmo mágico. Já agora, feliz Natal <3

    ResponderEliminar
  3. O amor é um sentimento tão forte e tão único que já vale por si. São de facto as pequenas coisas que o agitam, que nos mostram que de facto tanto se acende com tão pouco, e quando isto acontece ele é de facto verdadeiro.
    Adorei o textooo *.*
    Beijinho

    ResponderEliminar
  4. estava na altura, e felizmente consegui agarrar na força que tenho para pensar nas coisas de outra forma e para conseguir seguir em frente.
    este texto está maravilhoso, mesmo! *

    ResponderEliminar
  5. Bem, tendo em conta tudo o que passei estou a passar nestes últimos quatro anos, acho que posso mesmo dizer que o amor é cego e dói muito!
    Epá, quatro anos! Que terror!
    Vocês rapazes são tãããão complicados!

    ResponderEliminar
  6. obrigada mais uma vez, mas é verdade, apesar de tudo, não somos 100% felizes.

    ResponderEliminar
  7. Isto dá sempre uma discussão terrível! Tanto homens como mulheres são complicados mas cada um à sua maneira. E, lá nos conseguimos entender. Mas às vezes há coisas que eu não entendo porque razão os homens fazem algo tal como tu não deves perceber porque fazem as mulheres algo que para ti parece estranho ou incompreensível.
    Esta cena de amor que já dura há quatro anos já tem muito que se lhe diga. Bem se for mesmo a ver o tempo todo em que digamos que houve namoro e discussões e momentos bons apenas conto dois anos e meio. Enfim, é uma longa história pela qual não te quero maçar com isso nem tu deves estar disposto a ler :p
    Desculpa*

    ResponderEliminar
  8. O amor é algo único que cada um de nós guarda à sua maneira. É algo pessoal e intransmissível. Nunca ninguém amará todas as pessoas de igual maneira e é por isso que o amor tem tantos formatos e é tão bonito!! Tem coisas más e coisas boas, mas no final nunca deixou de ser único e especial!

    Um beijinho, Emilie.

    ResponderEliminar
  9. Obrigada, é pena que ninguém compreenda isso. E se querem uma relação para manter não nos podem amarrar mas sim deixar-nos viver a vida da maneira que me fiz entender no texto... (:
    Já agora, é lindo o que escreves! ^^

    ResponderEliminar
  10. Nunca tinha "racionalizado" da forma como descreves-te, embora já tivesse pensado e sentido isso!
    E como é óbvio, também partilho da mesma opinião em relação às "demonstrações de amor"; se bem que (na minha opinião) numa relação "mais rotinada" é necessários mais momentos que podem parecer simples e sem valor para uns (ou mesmo uma das partes), mas que são muito valorizadas... (ex: pequenas-grandes coisas que se fazem pela outra parte mesmo sem ela pedir).

    PS: Que não te assuste o facto do mestrado e se escrever muito poder trazer "lesões"!
    Eu é que tive que escrever muito e de forma muito rápida para conseguir fazer tudo e ainda me sobrar algum tempo, não fazendo os devidos intervalos...
    Desde que se tome algumas precauções tudo corre bem! :)
    (já me alastrei no comentário!)

    Um grande abraço!

    ResponderEliminar
  11. Olá querido André,

    Parabéns pelo design. Está em tons outonais.
    Vêem-se melhor as letras, com este amarelo, de fundo. E as estrelas, já fazem lembrar o Natal.

    Pois é, o amor tem de ser sonhado, lutado e vivido, senão não seria amor.

    Gosto dos teus textos, como sabes, e da continuidade semântica, que dás aos mesmos.

    AMAR É ISSO MESMO, ENTREGAS VOLUNTÁRIAS E MUITAS CUMPLICIDADES.

    As imagens, como sempre, estão soberbas e carinhosas.

    Bom fim de semana, ou melhor bom resto de sábado e domingo.

    Beijos de luz.

    ResponderEliminar
  12. obrigada pela força!
    e o post em si, está fantástico. cada vez melhor :b

    ResponderEliminar
  13. obrigada meu querido, muito obrigada *
    e nem tu imaginas o quanto eu gosto que lá vás expressar a tua opinião .

    ResponderEliminar
  14. Um pouco mais de amor é sempre o que precisamos.Quando parece pouco,quando as taças estão quase vazias,quando os abraços não satisfazem;o amor é sempre o que trará tudo de volta.Quando eu sinto as muitas emoções se esvaírem e todo o apreço pelo próximo se degenerar,tudo o que precisamos é orar e suplicar a Deus que derrama mais do seu amor em nossa existência.Pois o amor é o que nos une,nos faz mais afáveis e nos ensina as mais importantes lições.Apreciei em demasia as suas palavras.Amor não se explica,se vive!O designe do blog está maravilhoso,amei as estrelas cintilando.E agradeço pelo comentário meigo em meu blog.Tenha um excelente domingo e uma semana maravilhosamente vivida e apreciadada!!!
    Jesus Te ama!!!!
    Tammy.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário