Uma no meio de tantas outras...

As primeiras gotas caíram sobre a pele que ainda se encontrava gelada pela partida e pelo esquecer de um amor. Ele continuou a caminhar na certeza, porém, que jamais iria olhar para trás, jamais iria se prender a algo que não passava de uma irrealidade dolorosa que quase o sufocou e matou o amor que ainda se encontra tão vivo, tão real. Não ouvia nada, apenas caminhava e assim ia construindo de novo os sonhos outrora perdidos pelo perder de um tempo que jamais pára e assim vai diminuindo as oportunidades e a maneira de viver grande amores e de construir histórias muito mais felizes. Sorriu porque finalmente conseguiu ver aquilo que por tempos se encontrava tão nublado, tão apagado nos tempos perdidos, nos sonhos rasgados pela vontade de acreditar em quem na verdade nunca foi nada, apenas mais um vazio como tantos outros, algo igual, que não se destaca nem na forma de ser. O olhar perdeu-se e isso libertou-o fazendo dele alguém que já há muito tempo não era, natural nas suas acções, verdadeiro nas suas palavras que antes pareciam ser ditas mas nunca escutadas por quem na verdade não sabe o que é sentir. O tempo tenta recuperar, por isso não pára, caminha e corre na direcção daquilo que sempre quis, porque não se importa de esperar, porque não se importa de entregar o coração, apenas com ele saberá que é feliz e com o amor que tem é capaz de sarar as feridas que a vida lhe deu. Nunca desiste e isso faz dele um lutador, aquele mesmo lutador que amou com toda a sua força, que jamais iria contra os seus princípios, que nunca prediria o brilho no olhar por palavras que nunca foram a mágoa de um perder. Hoje saberá que não são as grandes coisas que o fazem feliz e vive com a certeza que aquilo que tem é seu e apenas seu e não de outros que ditam a sua vida e a sua maneira de ser. É amado por o que é e deixado por aquilo que acredita, não representa papeis e não quer ser o que os outros esperam dele, é natural, verdadeiro, quem gosta permanece em si e quem não gosta parte e fecha mais uma etapa, mais um capitulo. Nem tudo permanece eternamente na vida de ninguém, uns partem, outros ficam, mas há e haverá sempre o dia de dizer adeus...
Falem-me das mentiras e das palavras não ditas porque certamente irei rir das histórias contadas por quem nunca soube o que era ouvir, nunca soube o que era sentir...

Comentários

  1. ADOREI!
    e obrigada :)
    se poderes depois gostava de poder falar contigo no mail, ou algo do genero. um beijinho

    ResponderEliminar

Enviar um comentário