Não se escolhe...

Os nossos destinos seguiram caminhos opostos ao que o coração pedia, tu partiste e levaste a cumplicidade de um olhar que nunca encontrei igual. Sei que continuaremos com os nossos sonhos, com as nossas fantasias e acima disso com a nossa enorme vontade de sermos felizes para sempre. Dói ter de dar este paço e esquecer tudo o que um dia fez tanto significado na minha vida, uma história inacabada, um beijo fugidio que nunca conheceu o sabor dos lábios que tanto desejou, uma despedida quem nem chegou a existir. Agora tudo será diferente e desabafo aqui que a alma não tem a força que outrora tinha e o coração apenas se arrasta puxado pela vontade de encontrar um porto seguro, um lugar onde ele pode voltar a reaprender o que agora se esqueceu, ou então, o que agora prefere ignorar para não parar assim de bater. As palavras perdem o sentido no meio de tudo isto, sempre ouvimos dizer que longe da vista, longe do coração, mas na minha opinião não se aplica a mim, não se aplica a nós. Sonhei porque um dia me deste as assas que tinha perdido no meio da guerra que travei, despertas-te em mim as palavras que sempre foram ficando adormecidas pelo medo de errar e deste-me a vida que agora vivo e especialmente fizeste de mim esta pessoa que sente com todas as suas forças que antes desconhecia em si. Não se pode falar de destino porque certamente este nunca romperia com uma história de amor, não se fala em amor porque na verdade, se assim o fosse,  jamais deixaríamos de cruzar os nossos olhares, de sonharmos todas as noites sempre que encostávamos a nossa cabeça na almofada. Hoje olho e vejo que tudo foi mais um sonho que nunca chegou a encontrar a sua verdade, que se resumiu a uma utopia que tinha tudo para ser uma história com final feliz, mas que acabou por fugir do seu próprio caminho, ou por mim, ou por nós, não sei. Se um dia se sei amar a minha resposta será apenas uma e só uma, Aprendi a amar no dia em que cruzou o meu destino uma pessoa que continuou ancorada a este meu coração, hoje, amanhã e sempre...

Comentários

  1. eu sei andré, mas por vezes o medo é tao forte que nao tenho forças para combater contra ele s:

    ResponderEliminar

Enviar um comentário