Há sempre alguém...

E se o tempo parasse hoje? Se a janela se fechasse para os raios de sol que banham este quarto? O que seria de mim? O que seria de nós? O tempo passa e com ele as perguntas caladas, aquelas mesmas que guardo no silêncio do sentimento que guardo dentro de mim, deste coração que sente com tanta mas tanta força que chega a doer. O amor, apenas o amor me compreende porque na verdade jamais conseguiria viver sem ele, jamais conseguiria sorrir por mais que a vontade fosse desistir de tudo e agarrar-me ao nada das recordações vivas. Chegam assim as forças, aquelas que já me faltaram e mostram que o mundo é bem mais complicado do que aquilo que sonhamos, que podemos perder. Haverá um dia em que acabamos por ganhar algo e viver assim um capítulo feliz que parece tão distante do nosso alcance. Sorrisos, palavras, gestos, cumplicidades e um amor diferente, aquele amor de sangue como se de três anos desse lugar a uma vida, a uma amizade que nos alimenta bem mais do que aquilo que pedimos a vida. Sou diferente e disso tenho a certeza, sei sentir e não sou, nem nunca fui, o que os outros querem que seja, sou eu com os meus defeitos e as qualidades que fui inventando para assim ser feliz, para assim poder amar e ser amado. Nunca pedi de mais, mas também já me entreguei a melancolia que nem sequer me fez aprender nada, desisti mas nesses momentos estavam aquelas pessoas, aqueles que pertencem tanto a este meu coração que acaba por ser parte dele, o destino de uma vida que não passa apenas pelo não saber mas sim por o agarrar e guardar os pedacinhos que enchem a nosso sonhar. Nunca me faltou amor, ou então até já, mas aprendi a viver com os altos e os baixos de uma vida, de uma vida que por mais que se lute por vezes essas mesmas lutas se tornam tão injustas, tão inglórias que nos fazem querer esquecer de nós, desistir do que somos para dar lugar a uma farsa. Não me peçam para mudar, não me digam que os caminhos são errados eu sei com quem estou, sei com quem posso caminhar, viver, amar e até mesmo chorar em noites de um desespero tão profundo que parece que o mundo nos cabe nas mãos, se torna tão insignificante. Há e haverá sempre alguém, sempre uma força maior que nos levante, nos limpa as lágrimas e nos coloca de novo em frente à vida, com novos sonhos e com uma vontade enorme de se ser feliz, de se sentir vivo para todo o sempre. Porque não são das palavras que se mostram os sentimentos, porque não são dos silêncios que se sente o amor mas sim do perceber por entre tudo o que rodeia, por entre o que não é dito, pelo olhar que parece feliz mas que pede apenas um abraço. Hoje é assim, amanhã certamente, certamente eu não saberei...

Comentários

  1. Até quando me tratas mal, eu gosto de ti, não por gostar de ser maltratada, mas porque quando somos amigos de alguém, gostamos sempre dessa pessoa, no bem e no mal, no Verão e no Inverno. Muita amizade de mim, para ti.

    ResponderEliminar
  2. Quando se perde uma melhor amiga de 11 anos é assim s: que texto lindo *o*

    ResponderEliminar
  3. " porque não são das palavras que se mostram os sentimentos, porque não são dos silêncios que se sente o amor mas sim do perceber por entre tudo o que rodeia, por entre o que não é dito, pelo olhar que parece feliz mas que pede apenas um abraço." agarra-te a essas pessoas, às pessoas que te dão o abraço, aquele abraço de que tu tanto precisas.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário