Fogo lento...

A indiferença ficou espelhada num olhar que antes era tão cúmplice, tão verdadeiro. Os caminhos foram traçados e os sonhos voltaram a aparecer mas com outro sentido, com outro amor. Foi o perder daquilo que parecia agarrado a um coração, foi o desaparecer de tudo o que restava, de tudo o que ainda poderia reacender mas que o destino fez apagar como se de uma chama se tratasse. A vida mudou escapando das mãos a felicidade que nem sequer se soube existir algum dia nas palavras que aqui deitava ao vento e que tu passavas o olhar por elas sem entender tudo o que transmitiam, tudo o que valiam. Hoje sou a personagem principal da minha própria história, um contador de sonhos, um lutador de causas, um romântico incurável e um apaixonado por natureza, posso perder mas também faço por ganhar, choro mas da mesma forma isso mostra-me que ainda consigo sentir, sou lágrima mas certamente sou o sorriso de uma vida que me dá aquilo que verdadeiramente me faz feliz. Instantes perderam-se e o que ficou calado ficará para sempre assim, num silêncio constrangedor mas num partir tão esperado, tão pedido pelo coração. Esqueci o coração por momentos e pensei com a razão, com a mesma que tanto ignorei, pedi respostas mas ela não me deu, apenas me traçou caminhos, caminhos onde me encontrei e certamente que me levarão aquilo que sempre quis, aquilo que tu nunca foste...

Foi o partir e essa hoje é a minha maior certeza neste momento...

Comentários

Enviar um comentário