O coração...

Volto a escrever de amor porque certamente é este sentimento que me move e que solta para estes textos tudo o que sinto, tudo aquilo com que vou construindo o meu mundo, o nosso mundo. Olho com olhos de olhar e vivo certamente na esperança que um dia tudo isto seja diferente, que do silêncio soo as palavras e que dos olhares se dê o beijo há tanto tempo reprimido pelo receio de falhar. Sei que tudo o que acredito tem a sua verdade, que posso sonhar mas que da mesma forma vejo a realidade de uma vida que nem sempre prima por ser justa para quem se entrega ao mais verdadeiro e não cria personagem nem encara romances como estes sendo descartáveis e instáveis ou longo do tempo. Vejo a diferença em ti, melhor dizendo, acabo por ver tudo diferente na pessoa que tem o poder de me rasgar sorrisos e me prender o olhar, no meio da multidão, no meio de tantas outras pessoas e de tantas outras oportunidades. Não me consigo enganar, nem consigo te enganar, não sei o que se pode chamar a esta estranha forma de vida, a este ter e não ter, a este querer tudo mas quando chega o momento foge como uma criança que entra para um quarto escuro pela primeira vez. Apenas sei que se a verdade mais inquestionável existir essa mesma verdade existe em mim, sempre que toco na tua pele, sempre que te olho nos olhos, sempre que a minha maior vontade é te abraçar por entre a multidão, por entre tudo aquilo que se reduz a um nada comparando com tudo isto, com todo este amor. Mais do que as pessoas é o sentir que guia caminhos, que traça destinos, mais do que o corpo repleto de roupas e de adornos está um coração que bate, que sente, que se magoa mas que raramente se engana sempre que dá permissão para alguém entrar nele, para alguém permanecer ancorado e agarrado ao mesmo... Porque o amor não se escolhe, o amor cria-se e constrói-se de variadíssimas formas, por simples gestos em vontades de viver...

Comentários

  1. Eu acredito bastante no amor, bastante mesmo, ate porque tenho a melhor pessoa do meu lado. obrigada *

    ResponderEliminar
  2. O amor sim escolhe-nos a nós. Continua a escrever de amor que eu sou amante desse sentimento, dessas tuas palavras. Abraço.

    ResponderEliminar
  3. Eu sinto-me vazia e as minhas palavras fugiram de mim, e não aconteceu nada como antes, que fugiam e voltavam logo. Depois do vírus no outro blog, fiquei assim, abalada e sem vontade talvez para escrever e sinto-me triste por isso. Como podes dizer isso do meu texto então? Beijinho

    ResponderEliminar
  4. Estou plenamente de acordo. Ainda são muitas as pessoas que julgam o amor uma posse, onde tudo tem que ser à sua maneira e não percebem o quão errados estão. :x

    ResponderEliminar

Enviar um comentário