O amor vivido por quem nunca o esqueceu...

Olhava por entre aquele baloiço que me elevava o corpo em direcção ao céu, não pedia mais apenas a companhia daquele amor que se perdeu por entre as finas folhas de um Outono tão pobre de sentir, tão irreal de amor. Os sorrisos ficaram fechados, as angústias apoderaram-se deste meu corpo e eu entreguei-me ao esquecimento como refugio para o meu coração, como remédio para estas escaras que se apoderaram de mim, deste coração que se esquece o que é o amor. O olhar permaneceu ancorado a este meu sentir, aquele olhar terno de quando nos amávamos pelos campos e em que fazíamos promessas de sermos o príncipe e a princesa da nossa própria história. Nunca pedimos de mais porque sabíamos que iríamos viver cada dia, viver cada noite como se o mundo acabasse no dia seguinte, sorriamos, enroscávamo-nos um no outro sobre aquele manto de neblina e fundíamos os corpos em momentos de uma paixão ardente de um desejo que nunca conseguimos controlar por mais que os dias se tornassem cansativos. Esperávamos um pelo outro e sempre foi assim, eu esperava por ti e tu esperavas por mim, caminhávamos juntos, segurávamos para não cair e quando algum caia estava lá o outro para lhe limpar as lágrimas e mostrar que o mundo é feito de vitórias e derrotas, de sonhos e esquecimentos, mas desistir nunca desistimos até ao ponto em que tudo mudou, em que não conseguimos vencer mais uma batalha que se tornou mais forte que o nosso amor. Partiste, partiste da forma que eu nunca quis, da forma mais dolorosa e levaste contigo um bom pedaço de mim, uma parte daquilo que hoje já não sou, sento-me no jardim, recordo-me de ti e isso ainda vai preenchendo o meu coração que mais parece uma manta de retalhos onde tento colar remendos para este ir continuando a bater. Hoje apenas me baloiço neste pequeno pedaço de madeira preso pelos fios que um dia juntos amarramos, hoje apenas tento chegar ao mais alto possível porque assim quase toco no céu, assim fico mais perto de quem um dia me ensinou o que era o amor...

Comentários

  1. Rapaz, este texto está realmente muito bonito.
    Perdi-me por aqui, a ler aqui e ali.

    Nós realmente nunca esquecemos, não é?

    Abraço grande

    http://rabiscosincertossaltoemceuaberto.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  2. Obrigada.
    Adorei, adorei este texto, também te vou (per)seguir *

    ResponderEliminar
  3. ainda nao apareces-te nos meus seguidores s:

    ResponderEliminar
  4. Sim já esta, desculpa o incomodo s:

    ResponderEliminar

Enviar um comentário