Ela...

Continuas nos meus sonhos, tão presente. Sinto o teu perfume e a leveza do teu cabelo a passar-me pelo rosto em gestos cúmplices e olhares que nunca conseguem enganar. Sinto-te tão presente mas tão ausente, sinto-te em mim mas nem sei bem se te conheço como sempre pensei, procuro as tuas mãos naquela noite escura, porque certamente estarei nela à tua espera porque nunca consegui fugir de ti, o coração continua aqui, agarrado a isto que nem sei se posso chamar de destino ou então de amor, um amor diferente, irreal na realidade daquilo que ele consegue lutar. Somos apenas os dois, sozinhos naquele tempo que parece não passar, as músicas enchem o imaginário e pensar num toque dado num amanhã é o suficiente para aquecer um coração e rasgar um sorriso no rosto que enche os olhos de um brilho tão esperado por quem nunca se esqueceu de viver pelo coração e não por o que a razão lhe dá como certo. Continuas em mim e certamente chegaste para ficar mesmo que te tente arrancar deste coração desta estranha forma de vida, fazes parte de cada mundo meu, de cada pedaço daquilo que sou e que reinventei em mim no momento em que vi que finalmente as pessoas certas existem e que tu certamente ainda consegues sonhar de uma forma tão idêntica a minha, de uma forma despida de angústias e apenas com a vontade de poder viver um final feliz. Sinto-te em mim, sinto-te como sempre foste...

Há instantes na vida em que pensamos que vamos perder tudo, que chegamos ao fim da linha daquilo que separa o estarmos aqui do estarmos noutro lugar que nem conhecemos. É nestes momentos que finalmente conseguimos ver o que a vida nos dá e que não vale perder tempo em fugir. Mais vale abrir o coração e viver o que sempre sonhamos de uma forma individual, quando nos deitamos na cama e sabemos que aquela pessoa é especial para nós...

Comentários

Enviar um comentário