Um pouco mais real...

Os segredos aparecem, os sorrisos, os abraços e até mesmo os olhares cúmplices de quem um dia descobriu o que era amar. Nas tuas mãos perdia as minhas, nos teus lábios sentia o sabor de uma vida vivida e no teu corpo ancorava o meu coração em gestos de prazer e de uma paixão difícil de se encontrar, difícil de se sonhar. Os sonhos parecem bem mais perto de ser alcançados, as utopias de uma vida desaparecem e ali ficam dois corações entrelaçados um no outro, despidos, desprovidos de armas e apenas entregues a mais um capítulo, a mais uma história que pode ser a única conhecia, a única construída sobre um passado com vista a um futuro muito mais risonho, muito mais real. Caiem assim as mascaras, os guiões deixam de ser decorados e damos a conhecer cada pedaço de nós, cada sonho, cada projecto que nunca foi revelado e muito menos desvendado a qualquer pessoa, em qualquer lugar. Nesta hora os mundos cruzam-se e fundem-se apenas num, naquele que ambos acabamos por cuidar, com pedacinhos de nós mas também de todos aqueles que um dia acabaram por entrar na nossa vida e deixaram nela bem mais do que uma simples recordação, bem mais do que uma saudade inabalável. Hoje, amanhã e até mesmo pelos dias que nem se sabe quantos são, apenas o c oração guia este amor, apenas a vontade o mantém vivo e simplesmente os sonhos e a força de um lutar o levam adiante fazendo dele uma história viva e não apenas mais um simples rascunho escrito mas esquecido ao vento...

Comentários