Nem todos somos iguais...

Falas de amor, falas de paixões e até mesmo de um tempo perdido no meio de outro tempo, de outros segundos, de outras horas em que o coração bate descompassadamente com o medo de viver, com a vontade de fugir. Dizes sentir, dizes que os sentimentos são os mais verdadeiros, aqueles que nunca enganam, aqueles que servem de linha mediadora entre a felicidade e a infelicidade, entre o querer e o sonhar. Falasse de tudo e acabasse por viver de nada, viver mais uma ilusão, mais um final que desconhece o seu fim, a sua própria história no virar de cada página escrita, no redigir de cada frase que por vezes nem sentido tem. Procura-se o amor e quando o encontramos complicamos tudo, procura-se a felicidade e quando ela chega fazemos de tudo para a atrasar, para que ela fique ali à espera que o coração decida que ela pode entrar e em alguns casas já é tarde, porque ela acabou por partir, porque ela tem vida e não pode ficar à espera que um dia decidamos ser felizes. O amor, sempre o amor, sempre esta vontade de querermos mais e nem esse mais conhecermos, a vontade de sonhar e depositar sonhos sobre mãos pequenas, a vontade de querer e esse mesmo querer se tornar mais uma utopia, mais uma coincidência de um destino que se desvanece entre o nevoeiro de uma vida que mudou de rumo, que adoptou outra forma de ser. Luta-se pelo amor, luta-se pela construção de algo só nosso e às vezes ignoramos o nosso próprio ser, a nossa forma de amar, de nos amarmos, de respeitarmos as nossas vontades e de mantermos sempre a nossa forma de ser, natural. Todos nascemos diferentes, todos sentimos de formas completamente antagónicas, uns apenas tentam ser réplicas e outros continuam com essa sua diferença, com essa sua forma peculiar de ver a vida e de viver amor. É difícil, mas é bem mais real num mundo cheio de irrealidades em que cada um representa um papel e quando lhe falta o guião fica perdido, esquecido de quem é e para onde vai. Sei certamente que nem todos somos iguais, que nem todos pensam da mesma forma e é mau quando se ouve essa injustiça nas vozes de quem se magoou, de quem um dia deixou de acreditar no homem para se dedicar apenas e exclusivamente a especular sobre ele. Sei que essa diferença existe, sei que apenas tenho os meus sonhos só meus e que um dia este amor que tanto escrevo, que tanto retrato por estas linhas irá se tornar real, porque o tempo pode demorar a passar mas certamente o que o destino colocou nos nossos caminhos é aquilo que na realidade nos faz falta para sermos felizes...

Comentários