Hoje, amanhã e sempre...

Hoje apenas observo a natureza humana, aquele jogo de favores em que o amor serve de moeda de troca para aquecer corações, para levantar egos. Hoje apenas suspiro um alívio passageiro de uma visão mais real e humanizada dos contos de fadas em que acreditava. Hoje sou eu e apenas eu, todo o resto fica para segundo plano entregue a um capítulo ao qual, por enquanto, não quero pertencer. A luz do sol começa a ser menos brilhante o que me faz querer que todo este ciclo começa a chegar ao fim, que chega a hora de tomar novas decisões e que afinal a luta acaba por valer a pena nem que seja para construir pedra sobre pedra um futuro que se começa a desenvolver. Amanhã poderei ver o mar pela janela mas hoje apenas sinto o que ele um dia me ensinou, a ser feliz…

Comentários