Sopros do coração...

Certamente o tempo passará e esta recordação irá permanecer agarrada a este meu peito, a este meu sentir tão diferente de tudo o que é real, de tudo o que consegui construir pelos sonhos de uma vida, pela vontade de acima de tudo ser feliz como nunca ninguém foi. Peço aquilo que a vida me possa dar, não peço mais, apenas o que me coloque um sorriso no rosto e um esperança que o amor ainda existe, que o amor ainda consegue sobreviver mesmo contra as forças antagónicas que nos arrastam por caminhos que nós próprios desconhecemos, por estradas onde nem queríamos estar. Vivo assim com aquilo que tenho, não sei ignorar os sentimentos e apenas utilizo o coração de forma prudente, de forma a que não o volte a perder como já perdi anteriormente. Lutei, consegui resgatar o que dele restou, cuidei, sarei as feridas e agora apenas penso em esquecer, em viver o que ainda me resta de dias quentes e de noites alegres, sentidas, divertidas. Foi o tempo, apenas o tempo que me ensinou a não esperar grandes coisas de pessoas pequenas e a não depositar grandes sonhos sobre mãos que não os conseguem agarrar, não os conseguem defender. Mais do que falar o que alguém quer é sentir cada palavra, cada frase de um poema ou até mesmo de um fado que fala de amor, que fala de grandes paixões assolapadas e de arrepios frios que tanto mexem connosco, que tanto nos fazem sonhar...

Comentários

  1. Adoro* Tudo TÃO VERDADE!
    "Foi o tempo, apenas o tempo que me ensinou a não esperar grandes coisas de pessoas pequenas e a não depositar grandes sonhos sobre mãos que não os conseguem agarrar, não os conseguem defender." as pessoas por vezes não merecem que lhes "entreguemos" o nosso coração pois por vezes, devolvem-no partido.
    adoro, adoro, adoro*

    ResponderEliminar

Enviar um comentário