Silêncio do coração...

São as palavras de um verso que perdeu o sentido, são as brisas frescas, aquelas mesmas brisas que nos afastaram para sempre menos na recordação de dias e de situações que acabam por invadir as noites escuras de um Verão diferente. Tudo se torna mais um engano, mais um fim em que não são valorizados os sentimentos mas sim as formas tão egoístas e tão desumanizadas de amar, de sentir. Amanhã sei que será outro dia mas hoje quero apenas esquecer, limpar toda esta recordação que de nada me faz avançar, que me prende a estas correntes pesadas de um sentimento que nem eu próprio queria sentir. As vozes agora chamam por um vida, por uma vida que tinha sido esquecida mas que certamente será o melhor caminho para eu percorrer, o melhor tempo para fechar o coração e seguir como tantos outros, desprovido de amor, visto que ele nunca chega ao que se sente, nunca nos realiza os sonhos que tão humildemente vamos formando. Se tudo fosse possível, se tudo fosse como se sente e não como se fala o mais certo era poder se viver de sonhos, o mais natural era se viver do real, do sentido e não apenas de mais uma ilusão, mais uma serie de mentiras que acabam por afectar quem no fundo ainda consegue sonhar, quem ainda sabe amar de verdade. Hoje apenas te digo que já não sinto, arranquei de mim o coração...

Comentários

Enviar um comentário