Certamente o tempo mostra tudo...

Invade-me daquilo que mais verdadeiro há, leva-me a sonhar, pega-me na mão que eu vivo apenas para amar e não representar papéis imaginados, papéis falseados entre o que se é e o que se quer ser. Mostra-me o que de mais puro há em ti, mostra-me que afinal os dias podem ser bem maiores e que o amor não se trata apenas de um sentimento esquecido entre os jornais e as revistas de um mundo tão egoísta, de um mundo em que os sonhos não têm o papel principal. Fala-me de amor, fala-me de paixões assolapadas e de amores verdadeiros, murmura-me ao ouvido e canta para mim todas as musicas que enchem o teu imaginário, aquelas músicas que te atingem o coração e se expressam entre um sorriso ou um arrepio na pele. Hoje, agora e sempre, o teu caminho cruza-se perante o meu, as tuas mãos entrelaçam-se nas minhas e os nossos corações chamam ardentemente um pelo outro, chamam os nomes da nossa alma, os sentimentos do nosso mais puro viver. Olha-me nos olhos, toca-me na pele, beija-me e verás que afinal não se trata de uma ficção mas de uma realidade que teima em se esconder por entre os muros de uma vida, por entre os caminhos de um destino que se encontra traçado, que se encontra delineado pelo passar do tempo, pelas escolhas que se fazem. Se hoje apenas sonho é porque aprendi a o fazer, se hoje amo é que afinal tenho coração e não uma pedra no lugar do mesmo...

Comentários