Simples rascunhos de uma felicidade ainda em construção...

Começo a sentir o chão a fugir, esta a chegar a hora de partir mas o meu coração pede apenas mais um segundo, mais um simples dia para aproveitar e se despedir de tudo o que foi construído, de tudo o que foi vivido. Sinto um aperto que não me deixa sereno, ando inquieto, sem sono e sem vontade de sorrir. Quero apenas viver mais um bocado de todo o resto que ainda sobra, quero ver sorrisos, despontar gargalhadas e conversar pela noite toda de assuntos que tão bem conhecemos. Foram tempos, histórias, amores e ódios e tudo agora se resume a mais uma fase, a mais um tempo que infeliz ou felizmente acaba por chegar ao fim. Fica a recordação de dias quentes e de noites frias, de chuvas e de sol, de amores e de enganos, de paixões e de desilusões, chegou a hora, partir torna-se a única opção, aquela que vai demorar a se aceitar mas que passado o tempo será encarada como mais um caminho traçado, mais um sonho realizado. Amor, tudo se resume a essa simples palavra, um amor por tudo aquilo que se faz, um amor por tudo aquilo que se conhece, cheira, saboreia e sente, um amor inexplicável mais ao mesmo tempo tão real e tão vivo por aqueles que o sentiram e que partilharam comigo a história das suas vidas. São amizades que nunca se esquecem e pessoas que continuarão a ocupar um lugar no meu coração independentemente da distância, do tempo e até mesmo das horas. Quero que saibas que nem tudo foi em vão, que me alegro de saber que um dia invadiste a minha vida de uma forma arrebatadora e ao mesmo tempo tão forte, foram noites mal dormidas, foram sonhos e projectos, foram simples recordações mas que no fim contribuíram para a forma como sou hoje, para a forma como moldei os meus sentimentos e como aprendi a amar de uma forma muito mais verdadeira, ou seja, da forma natural de se amar. Olho para trás e não me arrependo de nada, vivi o que tinha de ser vivido, elogiado por uns e criticado por outros, corri por aquilo que acreditei ser a minha felicidade, às vezes acertei e outras acabei por falhar, amei loucamente, umas vezes em vão e outras apenas simples histórias que guardo dentro de mim, tudo foram simples sonhos, uns construídos e outros que ficaram por construir entre a neblina que me causava uma cegues e o medo de falhar. Cresci e agora sei o que verdadeiramente faz parte da minha vida, faz parte daquilo que tanto sonhei e que lutei para ter. De tudo o que perdi apenas posso lamentar que nunca consegui dizer tudo o que foi aqui escrito, em cada frase, em cada palavra, em cada sentimento de um pedaço de mim que passou a ser teu...

Comentários