Quero contar-te um segredo...

Queria que apenas sentisses, não pedia mais do que um simples segundo de amor, um segundo que valia por muitas histórias que foste conhecendo na tua vida, na tua maneira tão diferente de sentir. Força, força foi o que me faltou quando te deixei ir sem um beijo de despedida, quando vi seguires com os teus passos leves entre a calçada daquela noite que para mim foi um noite perdida de amor, perdida dos sentimentos que deixei irem contigo. A minha vontade era pegar-te na mão, dizer o quanto te amo e que sem ti a música perde as suas melodias, os dias apenas têm um sol que não me ilumina e que o amor que eu acredito como sendo verdadeiro desvanece entre a incerteza ou a fraqueza que o meu corpo assimilou naquela despedida marcante e ao mesmo tempo amargurada. Hoje escrevo sobre a média luz de uma vela que me recorda dias mais felizes, a minha caneta começa a dar os primeiros sinais de uma morte dolorosa, de uma despedida aflitiva. Mesmo assim continuo com a força que me move até ti, que me move na incessante luta de reviver tudo o que deixei para trás, tudo o que um dia não consegui conquistar. Amor, simples e puro amor é o que te posso dar, também não peço muito, apenas que cuides dele e que sintas todas as melodias que saiem de dentro do meu coração, daquele campo de batalhas e palco de lindas historias de amor. Sou eu e tu, o mundo perde-se e as pessoas assistem assim a uma peça onde o tema é apenas e unicamente o amor, aquele que arranca choros, sorrisos, abraços e até mesmo afastamentos causados por um engano que no fim se torna mais um ensinamento, mais uma lição de vida. As ruas por onde me fui arrastando são agora aquelas que te vêem passar, as areias que toquei agora tocam o teu corpo e o mar onde tanto sonhei e tanto desabafei agora molham-te o rosto e o cabelo em gestos de uma cumplicidade e de uma naturalidade que ainda me faz sorrir. São almas, são histórias de um povo em que o amor surge sempre como pano de fundo e em que as personagens vão se alterando, segundo o tempo e o espaço em que o sentimento surge e que a recordação permanece. Saberás tu ler sentimentos por entre palavras? Saberás tu sentir tudo o que digo? Este é o meu mundo, o mundo das letras e dos textos de amor, porque aqui sou eu próprio desprovido de mascaras, entregue a ti mesma...

Comentários

  1. Obrigada, e sim tens razão, é nas entrelinhas que se encontram os mais puros sentimentos :)
    beijinhos*

    ResponderEliminar

Enviar um comentário