O deslaçarar do sentimento...

O corpo pede por ti, o coração chama incessantemente o teu nome na esperança que apareças entre os raios de sol destes dias de Verão. Estas longe e com essa distância sufocas todo o meu amor, tudo aquilo em que acredito e que sempre sonhei para mim. São pequenos instantes do dia, são simples minutos que passam pelas horas que fazem com que tudo isto ganhe uma maior intensidade, que as palavras não fiquem presas no meu coração e que o amor que tenho cresça de uma forma tão rápida e ao mesmo tempo tão forte. Suspiro e sustento a respiração, mergulho num mar de recordações e permaneço lá, impávido e sereno, em recortes de fotografias passadas, em músicas gastas na sua melodia e em sorrisos que desvanecem na poeira que este turbilhão de emoções trouxe à minha vida. Abro a janela e não te vejo ao fundo, não vejo os teus passos neste areal que agora se enche de gente, se enche de pegadas que apagam as tuas entre passos apresados e corpos despidos pelo calor que parece que veio para ficar, que veio para te ver perder no meio dele. São corações, são sentimentos que restam deslaçarados entre o querer e o esquecer, entre a paixão e a distância física e sentida no meio de tudo, numa réstia de nada. Apenas te estendo a mão, apenas entrego aquilo que de mais precioso tenho, o meu coração e o meu sentimento, aquele que um dia não viste o quão verdadeiro era, o quão real se tornara. Amanhã será mais um dia, amanhã será mais uma série de descobertas, uma criação de novos sonhos e um guardar de tudo o que ficou num passado que tanto nos fez crescer, que tanto nos fez viver. A força, apenas a força de continuar permanece, apenas a luta me levará onde quero porque se não for eu a correr por o que quero certamente mais ninguém o fará por mim, mais ninguém o construirá por mim. Fica assim os dias quentes e a certeza que tudo o que foi vivido terá o seu lugar e tudo o que ainda está por viver aparece de uma forma natural e ao mesmo tempo tão surpreendente fazendo tanto de mim como de ti, escritores da nossa própria história, realizadores dos nossos próprios sonhos...

Comentários