Fazes-me falta...

Por momentos pensei que tudo seria real, por momentos senti o teu amor nem que fosse numa mistura de ficção e de sonho, apenas senti e vivi aquele simples momento somente com o meu coração, com aquele coração que te amou como ninguém ainda o fez. Sorri e apenas soube que foi uma simples fantasia que acabou por encher o meu coração daquilo que há muito tempo faltava, amor, aquele que soubeste despertar com o olhar puro que tens e com a maneira de ser diferente de todos os outros, igual a ti mesma. Reaprendi a amar, despeguei-me do passado, voltei a viver e isso devo apenas a ti, soube que partiria e que deixaria contigo tudo o que é meu, todo o meu sentir. Não me enganei e hoje apenas sou mais uma pessoa que se arrasta pelos ventos e pelas marés de um destino que sempre defendi que deveríamos ser nós a construir. O meu corpo apenas pede um pouco de ti, o meu coração apenas pede que o tragas de volta para o corpo dele, que está a morrer, que esta a desvanecer com falta de tudo aquilo que és para ele, tu, despida de tudo, detentora de nada. Sou assim uma alma vazia que deambula à procura de tudo o que ficou perdido, à procura de tudo o que perdi em ti, no teu olhar, naquelas ruelas que percorri sempre que a saudade não me deixava dormir. Hoje apenas recordo tudo através de fotografias e de simples olhares que começaram a se desvanecer numa memória que apenas pede para esquecer tudo isto, o coração faz-me falta e tu neste momento és falta de vida em mim. Olho para recortes de textos e para simples colagens de sentimentos que estão na parede do meu quarto, daquele refúgio em que toda a minha imaginação e todo o meu sentir resulta em palavras e textos que espero que consigas ler, entender, sentir e amar, por entre as simples palavras surgem os fortes sentimentos, por entre os simples textos surge todo aquele amor que nunca perdi por ti. Quero apenas viver agora, quero apenas voltar a sonhar com tudo o que já sonhei mas que roubaram como se de uma brincadeira de crianças se tratasse, posso ter cicatrizes mas consigo arranjar a cura, posso ser esquartejado mas consigo me erguer, posso apenas ser arrastado mas consigo ainda me agarrar aquilo que me faz feliz, aquilo que me mantém vivo. Apenas sou um simples copo de água, uns dias cheio a transbordar, outros dias seco com falta da mesma, hoje apenas não sei como estou, tenho tudo por um lado, mas por outro sou repleto de um nada, repleto da falta daquilo que um dia chamei amor, que um dia amei com todas as minhas forças. Saber amar toda a gente sabe, mas saber sentir por entre as palavras proferias e por entre as promessas realizadas já nem todos conseguem o fazer, porque falta sempre alguma magia, porque falta sempre alguma verdade no meio de uma vida que se quer real e não ficcionada. Amor é aquilo que não falta sempre que olho a tua imagem espelhada em tudo aquilo que faço e tudo aquilo que sinto, já tu será que te consegues apaixonar verdadeiramente por o que de mais real te posso dar? São restos, pedaços de sentimentos que aqui deixo caídos na esperança que os pegues e coles e juntes no fim ao teu coração. Posso ser tudo mas sem ti apenas sou nada...

Comentários

  1. «O meu corpo apenas pede um pouco de ti, o meu coração apenas pede que o tragas de volta para o corpo dele, que está a morrer, que esta a desvanecer com falta de tudo aquilo que és para ele, tu, despida de tudo, detentora de nada. » - Revejo-me tanto nestas tuas lindas palavras, sabes?

    Gostei imenso do texto. Diz-me muito! :)

    ResponderEliminar
  2. Mil obrigados pelas tuas palavras $'':

    ResponderEliminar

Enviar um comentário