Sentir em vez de pensar...

Quando amamos não olhamos para trás, apenas suspiramos o ar que nos matem vivos, apenas apertamos as mãos, abraçamos, beijamos, amamos, ou  no fim de contas tudo se reduz a apenas sentir, esquecendo o resto, colocando tudo de parte e vivendo só de um amor capaz de nos saciar a fome e de nos matar o desejo. Amar vai muito para além de um sentimento de posse, de uma obrigação, de uma troca de favores e muito menos de uma ausência de sentimento, quando assim o é então não é amor mas sim uma confusão que nós próprios fazemos e que acaba por nos prender a vida e a vontade de sermos verdadeiramente felizes. Corremos assim em direcção aquilo que queremos, aquilo que merecemos, aquilo que nos desperta um brilho no olhar, um aperto no coração e um formigueiro no estômago, amar é apenas sentir, sem repressões, sem prisões, sem preocupações. Amar significa uma liberdade, uma leve brisa fraca que te atravessa o corpo e te atinge o coração, um simples sopro de vento que é capaz de libertar o teu corpo e te dar a vontade de sonhares e de percorreres esses mesmos sonhos. Nem tudo é como pintam, nem todo o amor se reduz a palavra dor, porque se assim o fosse apenas não teríamos um coração mas sim uma pedra no seu lugar, uma pedra que não sentia, que não sofria, que não amava, que não gostava, que não vivia. Somos assim carne, sangue, sentimentos e sonhos e disso não podemos fugir, inevitavelmente vamos amar, vamos viver grandes amor e vamos perder outros tantos, certamente também iremos arriscar e outras vezes iremos nos esconder, certamente seremos felizes e infelizes noutras alturas, mas a vida é mesmo assim, uma incógnita, uma novidade, uma exploração de caminhos mas que no final de contas nos faz viver e nos faz correr e acordar todos os dias na certeza que iremos ter um dia melhor que o de ontem e que certamente o de amanhã ainda ira nos surpreender ainda mais... O importante é viver, o importante é sonhar...

Comentários