Saberás atravessar o importante é saber arriscar...

Estava perdido, nem sabia muito bem onde ficava aquele local mas a minha vontade era partir, não gostava do cheiro, da pessoas e acima disso não gostava de sentir lá, não gostava de lá descansar e não conseguia sentir aquilo que sinto onde agora estou. Parti, consegui largar as amarras e pular o precipício, saltei alto sempre com o receio que poderia cair naquele foço que cada dia se tornava maior, se tornava bem mais perigoso. Corri e assim saltei com todas as minhas forças e a réstia de esperança que voltaria a pisar chão firme mas no outro lado da margem, no outro lado da vida. Pensei que tudo seria diferente e pela primeira vez aprendi a sonhar, senti que queria ser feliz e pela primeira vês aprendi a lutar, corri, saltei e finalmente consegui, peguei nas roupas que já tinha atirado e comecei a traçar o meu caminho, agora um caminho apenas feito por mim e só por mim, com aquilo que acredito, com aquilo que sei que vale a pena mas especial e unicamente guiado por sentimentos. Muito encontrei nesse mesmo caminho, vi pela primeira vez o erro e com ele aprendi, vi pela primeira vez o desistir e soube o enfrentar, vi pela primeira vez o esquecer e acabei por o fazer mas acabei por ver pela primeira vez o amor e soube logo ali que era aquilo que procurava há tanto tempo. Agora construi a minha casa, aquele meu canto, com as folhas escritas das memórias que me marcaram, com os paus que me apararam as quedas para não desistir, com a força dos meus sonhos e movida finalmente a balões de vontades e projectos. Não sei para onde o vento me leva e para onde leva tudo aquilo que é meu mas certamente me levará para locais onde consiga viver livremente e em que a palavra amor não seja igual a todas as outras mas sim uma palavra que significa bem mais, que significa SONHAR...

Comentários