O erro...

Guardarei apenas as primeiras palavras, aquelas palavras verdadeiras que te saiam da alma e que me aqueciam o coração, guardarei as primeiras recordações, os primeiros sorrisos, os primeiros sonhos, os primeiros olhares. O tempo passou e com ele foi o brilho que um dia tiveste, a leve brisa levou todo aquele manto que tinhas e ficaste assim despida e ao mesmo tempo maquilhada de algo que não és tu, de tudo aquilo que é igual a todas aquelas que apenas se preocupam com o que o os outros pensam e não se preocupam em ser como são e viver como sonham. Tempos passados, sonhos despedaçados, vidas vividas que acabaram esquecidas, tudo foi um momento bom, tudo acabou por se esbater pela tua vontade de ser igual a todo o resto, igual a todas as personagens que se entregam ao papel de actriz principal. Os sentimentos, nunca esqueças pelo menos os sentimentos, agarra-te a eles mesmo que a tua vontade seja aprisiona-los e camufla-los entre penteados chamativos e roupas cativantes, nunca te esqueças de sorrir porque isso ninguém te ensinou mas sim aprendeste por ti mesma, com cada situação, com cada história, com cada sentimento que te confrontaste e que te aqueceu o coração e te expressou no rosto. Apenas não te tornas a imagem de uma história inacabada, de uma vontade aprisionada, de um amor frustrado, não te tornes uma figura, sê tu, sê a tua verdadeira personagem e escreve tu a tua própria história, o teu próprio final. O sonho comanda a vida, podes errar, podes esquecer, podes arriscar ou até mesmo preferir aí ficar mas nunca, nunca deixes os sentimentos em casa...

Comentários