Espero por ti...

Corri entre as primeiras folhas que caiam no chão num Outono, tão diferente, tão só. Saberia que o tempo não voltava atrás, mas a vontade de ser feliz passava por cima disso, passava por cima de toda aquela solidão que teimava em ficar. Não olho para grandes coisas, porque essas mais dia ou menos dia acabam por se resignar aquilo que chamo de perda de brilho. Apenas olho para pequenas e simples coisas, aquelas que me fazem feliz, aquelas que sei que nunca mudam nem com o passar do tempo, nem com a ostentação de ser o principal entre bonequinhos criados e papeis encenados. Corri assim, baloicei naquele balouço feito pelos que mais importantes são, sorri e deitei-me sobre aquele nosso vale que ainda era banhado pelo sol fraco de fim de tarde. Hoje sei o que foste para mim, uma recordação, uma simples folha escrita onde um copo de água caiu sobre as palavras esborratando tudo e deixando para trás mais uma história que poderia dar um livro. Chegou assim o inverno frio, um inverno que me resfriou o corpo mas também o coração, aquele coração que acreditou e que acabou por quase morrer entre a desilusão e as facadas de uma vida que não tem sido justa no que toca ao amor. O inverno assim passou, com dias bons, dias menos bons, chuvas e gelo ou até mesmo simples raios de sol que acabavam por entrar entre as persianas e me iluminavam e aqueciam aquele quarto, aquela cama esquecida e abandonada por mim e por todas as recordações que lá acabaram por ficar. A primavera finalmente chegou e com ela chegou uma nova luz, uma nova réstia daquilo que faltava para voltar a acreditar no amor, os dias vão passando e as amarras começam a sair do meu corpo, a sair da minha mente mas acima de tudo o meu coração voltou a abrir portas e janelas deixando-o assim respirar e ser invadido por sentimentos diferentes, por sentimentos que se tornam mais verdadeiros e muito menos artificiais. Espero por ti, hoje, amanhã ou até mesmo num dia destes, mas espero por ti...

Comentários

  1. Em muito me revi neste blog; muito me deu que pensar.
    Cheguei aqui por uma simples pesquisa na net, sobre o livro: “Espero por ti”, e por um qualquer motivo, embrenhei-me nas suas palavras e “perdi” tempo a absorvê-las…
    Fala de verdades que me atingiram ao longo da vida; fala de sentimentos que já tive, e que não ouso mais sequer sonhar… Fala de tudo aquilo que vivi, e que também eu descobri…
    Por ex: não preciso de outra pessoa para ser feliz, basta que o seja comigo mesma. Antigamente não pensava assim. Uma sonhadora que acreditava no amor para sempre, acreditava que as pessoas não podiam fingir, nem ter tanta maldade em seu coração…
    Ilusões, ilusões que a vida me mostrou serem miragem. Uma miragem neste mundo em que já não há valores, em que as pessoas amam porque lhes dá jeito ter alguém, dividir despesas com alguém. Um mundo em que o amor é descartável…
    Enfim! Muito mais teria a dizer…
    Parabéns! Tem um blog lindo.
    Uma vida linda e feliz, é o que lhe desejo…

    ResponderEliminar

Enviar um comentário