Diferença...

Sempre soube que seria um pouco diferente, que acreditava em coisas que já ninguém acreditava, que lutava em vez de me acomodar, que amava em vez de representar. Vivi assim com receio desta minha diferença, com receio de ser como era e como vim a ser. Mais tarde com o passar das horas, dos dias, dos meses e até mesmo dos anos esses medos dissiparam-se porque vi finalmente que é nessa diferença que eu acabo por ser eu mesmo, desigual de toda a gente, com os meus próprios sonhos e com as minhas maneiras de encarar o mundo, as pessoas que nele vivem e as paixões que vão surgindo entre simples e felizes coincidências e encontros que o destino nos proporciona. Hoje apenas vejo o passado como uma página escrita e virada na minha vida, durante muito tempo prendeu-me, durante muito tempo tapou-me aquilo que hoje vivo e as histórias que hoje consigo escrever, com a minha mão, com a tinta que escorre do meu coração e com a força que nem sei onde fui buscar. Arrumadas ficaram as recordações, os erros, os sonhos que acabaram por não ser vividos e os medos que antes existiam e persistiam sempre que procurava arriscar. Tudo ficou guardado dentro de uma gaveta que não me lembro bem onde fica, dentro de compartimentos distintos entre situações que queria esquecer e momentos que recordarei para toda a minha vida. Vitórias, derrotas, sonhos, pesadelos, medos ou até simples sorrisos, sou composto de tudo isso, cresci com isso e foi esta minha forma de ser que moldou aquele homem que hoje sou. Se sei sonhar é porque a vida me ensinou isso e tu será que sabes?

Comentários

Enviar um comentário