Não sou o único a olhar o céu...

Sentir, apenas sentir e não saber pensar, saborear, apenas saborear e esquecer tudo aquilo que de mal aconteceu, amar e apenas amar sem palavras, sem gestos, apenas com o olhar, apenas com o coração. Percorro esta sala pensando o que será mesmo a vida, se amar vale a pena, se sentir é bem melhor do que apenas pensar. O chão torna-se gasto pelas passagens e pelo rastejar dos meus pés cansados após mais um dia de trabalho necessário, o sol já não bate na janela e o vento parece agora acalmar e deixar assim que eu caia num sono merecido. Quero dormir mais não quero fechar os olhos, quero adormecer entre os lençóis mas falta-me algo, faltas-me tu para dormir descansado e com isto fazer com que os meus sonhos de criança se tornem realidades vividas. Não procuro grandes coisas, também não peço muito apenas quero sorrir e sei que isso depende de pouco, de um pouco capaz de mudar a minha vida e de fazer de mim alguém muito diferente daquilo que fui ontem. Encosto a cabeça a este sofá que me acompanha desde a algum tempo, olho pela janela e espero que amanhã seja diferente, porque eu não sou de extremos apenas não escondo aquilo que parece ser verdadeiro, natural e não mais uma peça construída e encenada como se encontra ao virar de cada esquina. Há olhares que valem mais do que palavras e há olhos que não conseguem esconder aquilo que se esconde em gestos e até mesmo palavras que saiem da cabeça e não do coração...Procuro verdades porque não sei oferecer outra coisa...

Comentários