História de um verbo Amar...

Olhou ele para ela, ela com um olhar envergonhado apenas sorriu e de novo voltou a olhar para o horizonte, ele chamou-a pelo sentimento e ela respondeu com o seu coração, ele pegou na mão e ambos fugiram para um lugar onde estivessem apenas os dois. Ela sorriu de novo e ele sorriu para ela também, ambos trocaram beijos numa noite um pouco diferente das outras e ali permaneceram, impáveis e serenos a ver uma ria que acompanhou a história dos dois. As madeiras daquele pontão estavam molhadas devido a humidade que se fazia sentir, mas ele despiu o casaco que trazia e envolveu ela com aquele calor material mas acima disso com o calor do seu coração. Falaram, contaram receios, sonhos e até mesmo trocaram simples promessas características de um casal que se ama e que projecta sonhos e vidas em conjunto. Não se sabe o que se vive amanhã por isso o mais importante mesmo é vivermos o presente e apenas o presente, construindo barreiras, derrubando outras e no fim fazer daquele dia um dos melhores dias da nossa vida. O sol começou a despontar no meio das nuvens e os raios de sol banharam aqueles dois rostos que pareciam estar a viver uma história que não queriam que terminasse. Ela reparou nos pormenores dele e ele descobriu que o sorriso dela era bem mais bonito de dia do que na noite que por vezes engana. Ela disse que tinha de ir e ele acompanhou-a à porta da sua casa onde ela despiu o casaco dele e ele se despediu dela na certeza que iria ter com ela dali a poucas horas. Pelo caminho ele pensou de tudo mas não conseguia ser indiferente ao cheiro do perfume dela que ficou entranhado no seu casaco. Ambos não conseguiram dormir e quando chegou o cair da tarde correram um para o outro e ali mesmo se amaram entre roupa no chão, palavras apaixonadas e movimentos quentes originados por um amor que parece estar no seu expoente máximo. Ambos são felizes e descobriram juntos o prazer que é viver, mas acima de tudo o prazer que é viver com alguém que se ama e que nos ama da mesma forma, daquele jeito que sentimos, que nos faz sonhar e que de noite não nos consegue embalar mas sim tirar o sono... Se tu és olhar eu sou bem mais que isso...

Comentários