Verdades que mais parecem sonhos que em tempos se acredita...

Vem, agarra-me nas mãos e solta-me as amarras que me prendem a este estado, liberta-me e faz de mim aquilo que nunca fui, faz de mim aquilo que sempre quis ser, leva-me que eu vou contigo. Confio-te os meus passos e fecho os olhos à espera que me guies e me leves para um locar apenas nosso, lá tira-me a venda e mostra-me apenas o teu verdadeiro ser que tão bem conheço. Perguntas-me como o posso conhecer e eu apenas te respondo com um sorriso, com um gesto onde ficarás a saber que tudo o que te digo tem um sentido e acima disso uma razão de existir. Saltarei contigo a mais alta ravina na certeza porem que te esperarei lá em baixo e te irei amparar a queda com as minhas mãos e a força de um coração que bate por ti. Não sei porque vivo assim, não sei porque o meu coração se agarra a uma imagem que não sai da minha cabeça, não consigo fugir, não consigo me libertar, apenas fico aqui porque a minhas mãos procuram as tuas e o meu ser procura o teu corpo entre uma timidez simples e um sentir envergonhado. Procuro assim sabendo no fundo que já encontrei, vivo assim sabendo qual seria a melhor forma de viver, saberei que estás aí e que aqui estou entre um sentimento que une e uma barreira que separa. Espero por ti e tu no fundo sabes bem disso. Não é um adeus apenas um até já meu grande e verdadeiro amor...

Comentários